Domingo, Agosto 14, 2022

Slide Slide
InicioEsportesSem susto: Brasil pega o México na segunda-feira

Sem susto: Brasil pega o México na segunda-feira

Seleção controla o jogo em Moscou, vê Neymar crescer de produção e garante vaga com gols de Paulinho e Thiago Silva. Marcelo sai machucado no início do jogo e preocupa a comissão técnica para a partida das Oitavas de Final, dia 1 de julho, às 11h

Atuação segura, vitória por 2 a 0 e vaga garantida nas oitavas de final da Copa do Mundo. A tensão do jogo decisivo não atrapalhou a Seleção nesta quarta-feira, muito pelo contrário. O Brasil de Tite controlou o jogo contra a Sérvia em Moscou, venceu com gols de Paulinho e Thiago Silva (um em cada tempo). Em uma noite de atuação destacada do quarteto Thiago Silva, Casemiro, Philippe Coutinho e Neymar, a Seleção fez sua melhor apresentação no Mundial até agora.

O sonho do hexa segue mais vivo do que nunca. Próxima parada, Samara. Segunda-feira, dia 1 de julho, às 11h, a Seleção Brasileira encara o México.

Com sete pontos ganhos em três jogos, o Brasil garantiu a primeira colocação do Grupo E. Pelo ordenamento da competição, enfrenta o segundo colocado do Grupo F, o México, nas oitavas de final. A Suíça, segunda colocada na chave, pega a Suécia. Sérvia e Costa Rica deram adeus à competição.

Passado o empate na estreia e o nervosismo contra a Costa Rica, a Seleção parecia mais tranquila em campo. E o melhor: o meio-campo funcionou bem pela primeira vez na Copa. Destaque nos dois primeiros jogos, Coutinho manteve o alto nível. Mas dessa vez teve ao seu lado um Casemiro mais eficiente (com a bola nos pés, principalmente) e um Paulinho usando bem os espaços para infiltrar. Diante de uma Sérvia que jogava mais na imposição física do que na qualidade técnica, o Brasil já controlava o jogo e criava boas chances quando o gol nasceu justamente dos pés de dois meias: Coutinho achou Paulinho livre na área e o volante tocou na saída do goleiro.

Precisando do resultado, a Sérvia mudou sua postura no segundo tempo. Mesmo sem alterações no intervalo, a seleção adversária partiu para o ataque e até ensaiou uma pressão. A grande maioria dos lances se resumia a bolas levantadas na área para tentar aproveitar a estatura elevada de seus jogadores. O Brasil passou a explorar os contra-ataques (Neymar quase marcou em um deles) e Tite até reforçou a marcação com a entrada de Fernandinho no lugar de Paulinho. Mas, no melhor momento da Sérvia no jogo, quis o destino que o segundo gol saísse justamente naquele que deveria ser o ponto forte do rival: a bola aérea. Neymar bateu o escanteio e Thiago Silva subiu para fechar o placar.

Rodrigo Leitão
Editor-Chefe do site
Mais publicações

Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide

Mais populares

Comentários recentes