21.8 C
Joaçaba
Segunda-feira, Janeiro 17, 2022
spot_img
InicioColuna Saca RolhaCOLUNA SACA-ROLHA: Vinhos diferentes que você vai encontrar na ExpoVinho Joaçaba

COLUNA SACA-ROLHA: Vinhos diferentes que você vai encontrar na ExpoVinho Joaçaba

Maior feira de bebidas do Meio-Oeste catarinense trará para a cidade, em dois dias de evento, vinhos elaborados com uvas diferentes do padrão conhecido na produção mundial e à venda no Brasil. Vinícolas de pequeno porte experimentam cada vez mais e abrem espaço para apreciadores que buscam novidades na bebida. Confira alguns exemplares que você deve procurar e experimentar na feira!

 TEROLDEGO
A uva tinta Teroldego é uma variedade amplamente cultivada no Alto Adige, região vinícola no norte da Itália. Há apenas um DOC para os vinhos varietais produzidos a partir da Teroldego em sua terra natal – o Teroldego Rotaliano. Essa uva produz vinhos tintos escuros e intensamente frutados, um estilo que se tornou ícone para a indústria de vinhos do Trentino. Além disso, tais exemplares podem ser consumidos dentro de três anos após o engarrafamento ou, até mesmo, envelhecer por dez anos. Em blends, a uva Teroldego é utilizada para adicionar cor aos exemplares e é cultivada em Toscana e Veneto para esta utilidade. Essa variedade também se adaptou com facilidade ao terroir e aos climas das regiões vinícolas brasileiras, dando origem a excelentes vinhos. A Teroldego é uma uva com fortes taninos e casca grossa e, dependendo da área onde estiver cultivada, dá origem a vinhos com diferentes estilos. Em regiões mais frias, assim como a Serra Gaúcha, essa variedade é responsável por elaborar vinhos menos potentes e aromáticos, bem como exemplares com coloração mais clara.

ANCELLOTTA
Uva nativa da região da Emiglia Romagna, na Itália. Ancellotta é uma variedade de uva de cor bem escura. Normalmente, esta uva é usada na mistura (blend, assemblages) de vinhos tintos e espumantes tintos italianos, os famosos Lambruscos. Curiosamente, a Ancellotta encontra lar na Itália, com 25% da produção mundial. Na Argentina, com 25% da produção mundial. E no Brasil, com 50% da produção mundial. Aqui, a Ancellotta cria um vinho varietal suavemente frutado com boa acidez, taninos maduros e uma cor profunda e intensa. Aqui, é usada em misturas com Merlot e Cabernet Sauvignon, mas é mais conhecido como um vinho varietal frutado com notas suaves, florais e sabores maduros de frutas vermelhas.

MARSELAN
Apesar de não tão presente nas mesas dos brasileiros, o vinho feito com a Uva Marselan tem uma característica ímpar. Criada a partir das espécies Cabernet Sauvignon e Grenache Noir, essa uva tem origem francesa com aromas e sabores inusitados e diferentes. Com coloração intensa e aromas que lembram frutas vermelhas frescas e cacau, a uva Marselan começou a ser comercializada no Brasil a partir de 2002. Devido às peculiaridades no sabor, a qualidade dessa uva tem ganhado força e, a cada safra, novos produtores têm lançado rótulos no mercado. Essa espécie foi produzida pela primeira vez em 1961, pelo pesquisador Paul Truel, perto da cidade francesa de Marselha. A partir dos resultados do estudo, a uva recebeu o registro do INRA (Institut National de la Recherche Agronomique – Instituto Nacional de Pesquisa Agronômica da França), órgão que valida as pesquisas científicas. De acordo com relatos, no início o clone entre as variedades apresentou uma uva de baixa produção, o que fez com que o cultivo da Marselan fosse deixado de lado pelos pequenos produtores, que tinham objetivos maiores nos vinhedos. No Brasil, já existem produtores que se dedicam ao cultivo dessa uva. Na região Sul do país, por exemplo, existem vários vinhedos de Marselan. A explicação é única: o clima frio e úmido, natural da Serra Gaúcha, favorece a produção da espécie.

REBO – De coloração vermelho rubi, com reflexos violáceos, possui intensas e variadas flagrâncias que remetem a frutas maduras. Seus taninos aveludados e maduros proporcionam um sabor agradável, equilibrado e muito convidativo. Na ExpoVinho você vai experimentar a bebida elaborada com uvas

cultivadas nos próprios vinhedos da Vinícola Barcarola. Cepa proveniente do cruzamento de variedades Teroldego e Merlot, realizado pelo pesquizador italiano Rebo Rigotti, no Instituto San Michele All’ Adige, Província de Trento Itália. Harmoniza bem com massas, carnes, embutidos defumados, queijos e diversos outros pratos da gastronomia mundial.

LAGREIN
A uva Lagrein é uma variedade antiga e que se adapta com maior facilidade na região ensolarada do Alto Adige, nordeste da Itália. Os vinhos elaborados a partir da Lagrein são encorpados e fortes, além de extremamente aromáticos. Com coloração escura e densa, a uva Lagrein possui estrutura ácida e acabamento ligeiramente adstringente. Com baixos rendimentos e alta tanicidade, a uva Lagrein suscitava alguns problemas aos produtores de vinho, no entanto, com o decorrer dos anos e a modernização das técnicas de vinicultura, a variedade passou a produzir alguns vinhos muito apreciados ao redor do globo. Dando origem principalmente a vinhos varietais, a Lagrein é permitida por duas denominações de origem controlada (DOC) – Trentino e Alto Adige. As encostas da região do Alto Adige são ensolaradas e oferecem um excelente terroir para as uvas desta casta. Os exemplares elaborados a partir dessa variedade de uva são os mais significativos para a região, conhecida principalmente pela produção de excelentes vinhos brancos. A Lagrein é permitida na composição de outros bons rótulos do Alto Adige, em especial, ao lado das uvas Schiava, Cabernet Sauvignon e Merlot.

Rodrigo Leitão
Editor-Chefe do site
Mais publicações
- Advertisment -spot_img

Mais populares

Comentários recentes