Terça-feira, Agosto 16, 2022

Slide Slide
InicioAgroChineses vão fazer novas compras de suínos do Brasil

Chineses vão fazer novas compras de suínos do Brasil

No ano passado, os americanos venderam 275 mil/t à China em 2017 e o Brasil 40 mil/t. Parte da perda do mercado do suíno dos EUA certamente virá para o Brasil e EU.

A China anunciou a retaliação a 150 produtos importados dos Estados Unidos. Dentre eles, está a carne suína, que deve ser taxada em 25%. O Brasil já é um grande fornecedor mundial desse produto e agora, com a taxação, deverá encontrar novas oportunidades neste mercado, como destaca Ricardo Santin, vice-presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Segundo Santin, os Estados Unidos venderam 275 mil toneladas de carne suína para os chineses no ano passado. Esse grande espaço poderá ser utilizado, em parte, pelo Brasil, já que o produto nacional continuará em mesmo nível de preço – que já era competitivo

O Brasil, no momento, está banido de vender para a Rússia, que consome um produto parecido. Agora, “vamos utilizar os canais abertos para ampliar os volumes de venda”, aponta o vice-presidente em relação aos chineses.

Esse efeito, embora as primeiras vendas devam ser feitas nos próximos 15 dias, deve começar a ser sentido entre dois a três meses. Hoje, o mercado de suínos brasileiro está pressionado, em função do aumento especulativo do milho e do embargo russo, este que deve começar a ser normalizado dentro de um mês.

As exportações brasileiras para a China foram de 40 mil toneladas no ano passado, uma queda em relação a 2016. Esperava-se que o aumento fosse de 10% ou mais para 2018. Contudo, o embargo aos norte-americanos abre uma nova janela para que essa porcentagem seja ainda maior.

Na concorrência com o Brasil, a comunidade europeia, que já é uma grande exportadora de suínos para a China, também deve entrar nessa disputa. Mas, como aposta Santin, “o Brasil tem condições de competir”.

(Fonte: Notícias Agrícolas)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Athos de Almeida Lopes Filho é o novo secretário adjunto da Agricultura e da Pesca

 

Da Redação

 

Florianópolis – A Secretaria da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina tem um novo secretário adjunto. A partir desta segunda-feira (2), Athos de Almeida Lopes Filho passa a ocupar o cargo, que antes estava sob responsabilidade do atual secretário Airton Spies.

Athos possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e especialização em Produção e Qualidade do Leite pela Universidade do Contestado. É extensionista de formação superior da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e foi diretor de Cooperativismo e Agronegócio da Secretaria de Agricultura.

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca atua em quatro eixos: pesquisa agropecuária, extensão rural, defesa sanitária animal e vegetal e fomento agropecuário. As ações são executadas em parceria com as empresas vinculadas: Epagri, Cidasc e Ceasa/SC.

 

…………………..

 

 

Rodrigo Leitão
Editor-Chefe do site
Mais publicações

Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide Slide

Mais populares

Comentários recentes