Coluna Pelo Estado – Santa Catarina terá mais Gás Natural a partir de 2022

Ilustração/SCGÁS

A ANP (Agência Nacional de Petróleo e Biocombustíveis) autorizou a construção do THS (Terminal Gás Sul), na Baía de Babitonga, no porto de São Francisco do Sul. O empreendimento da empresa New Fortress Energy aguardava autorização da agência desde fevereiro e está previsto para entrar em operação no primeiro trimestre de 2022. Em maio deste ano, o terminal recebeu também a LAI (Licença Ambiental de Instalação), emitida pelo IMA (Instituto do Meio Ambiente).

Outra opção de ampliação da oferta de Gás Natural é via Gasbol (Gasoduto de Transporte Bolívia-Brasil). Recentemente, a TBG, empresa que opera o gasoduto, informou a possibilidade de ampliação de até quatro milhões de m³ por dia de Gás Natural, projeto que aguarda aprovação pela ANP. A ampliação é importante porque o Gasbol atualmente opera no limite de capacidade na zona denominada SC2, que abrange os pontos de entrega de Biguaçu até Nova Veneza. Desde a sua construção, há mais de 20 anos, não houve nenhuma ampliação da capacidade total que hoje é de até 30 milhões de m³ e abastece outros estados brasileiros, como o Mato Grosso do Sul, toda a região Sul e parte de São Paulo. Também é interligado ao sistema de gasodutos de transporte da NTS no Sudeste, podendo, portanto, enviar gás para outras regiões. A ampliação do gasoduto poderá aumentar a capacidade total em 13%.

A autorização da Agência Nacional de Petróleo e Biocombustíveis ao terminal na Baía da Babitonga prevê ainda a construção do gasoduto de transporte entre Itapoá-Garuva, de 33 km de extensão, interligando o terminal de regaseificação de GNL (Gás Natural Liquefeito) da New Fortress ao Gasbol. O projeto consiste em um navio amarrado a estruturas marítimas acima do nível do mar, sem conexão com infraestrutura em terra, na Baía de Babitonga, a 300 metros da costa. O GNL será transferido por navios metaneiros. O empreendimento poderá ampliar em 179% a oferta do insumo em Santa Catarina.

Foto Divulgação

Segundo acesso

A obra do segundo acesso para Bombinhas foi efetivamente abraçada pela deputada Paulinha (sem partido). Em reunião com o governador Carlos Moisés (sem partido), nesta semana, a parlamentar obteve o consentimento para buscar a celeridade nesta ação, tomando providências para a atualização do projeto executivo junto a Secretaria de Infraestrutura do Estado. Ainda, a parlamentar afirmou que pretende promover reuniões com Ministério Público Federal, IMA, e demais órgãos competentes. “Eu e o prefeito Paulinho (DEM), vamos convidar todas as lideranças da região para somarem forças conosco. A cada semana vamos informar cada passo dado”, se comprometeu a parlamentar.

Magistério

Relator da Comissão Mista que elaborou proposta de plano de carreira para o magistério, o deputado Dr. Vicente Caropreso (PSDB) pressiona para que o governo revise o projeto enviado à Alesc. Na avaliação do deputado, a proposta do governo, ao garantir ganho expressivo apenas aos profissionais com doutorado (58% de reajuste) e mestrado (28% de reajuste), frustra os profissionais com licenciatura plena e especialização, grupo que representa mais de 75% da categoria, e que terá reajuste pouco superior a 10%, o que significa a inflação do período.

Ambiental 1

O Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Socioambiental e a RMA (Rede de ONGs da Mata Atlântica) entregaram ao deputado Valdir Cobalchini (MDB), coordenador da Comissão Mista da Alesc para discutir o Código Ambiental, um manifesto demonstrando apreensão quanto à algumas. O professor da UFSC, João de Deus Medeiros, ressalta que as alterações do texto foram solicitadas a um grupo restrito de entidades. Além das secretarias, apenas a representação do setor empresarial, dos municípios e do agronegócio foi chamada a participar do debate.

Ambiental 2

Outra crítica dos movimentos ambientalistas e acadêmicos foi em relação à escassa publicidade e à celeridade para concluir a revisão de norma com quase 300 artigos. Inicialmente foi estipulado um prazo de 30 dias para apresentação de sugestões, o que forçou uma redefinição de cronograma, com prorrogação por mais 60 dias, definindo agenda com oito audiências públicas. A última audiência, inicialmente programada para se realizar em Florianópolis, foi transferida para Joinville, o que também suscitou críticas dos participantes na reunião.

Encontro do PL

O Partido Liberal faz encontro neste sábado (20), no Centroserra Convention Center, em Lages, e reúne lideranças e autoridades da sigla para alinhar as estratégias focadas nas eleições de 2022. Para o presidente do partido no estado, o senador Jorginho Mello, este será um passo fundamental para estimular as bases. O encontro terá a presença do presidente do PL do Espírito Santo, pastor Magno Malta, uma das principais lideranças religiosas do país.