Sopelsa cobra ação do governo para conter aumento de preços

Foto Divulgação

Deputado Moacir Sopelsa (MDB) cobrou na tribuna, uma ação mais efetiva do governo federal na condução da economia brasileira, que pode ser dimensionada na crise deflagrada com o aumento dos combustíveis, do gás de cozinha e dos alimentos. O parlamentar lembrou o exemplo que vem do campo, com o aumento de insumos para o custeio agrícola, da ordem de 100% em relação à safra passada, em sementes, adubo, ureia e defensivos.

“O custo de 1 hectare de lavoura com tecnologia para produzir 150, 180 sacas de milho, em condições normais de clima, custava em torno de R$ 3.500,00. Hoje este custo ultrapassa R$ 7 mil. Eu quero ver quanto vai custar uma saca de milho, de soja. Quanto vai custar um 1kg de feijão e arroz, com o custo destes insumos”, alerta. Ele também citou a escalada de preços dos insumos na construção civil. Para ele, a crise precisa ser combatida em especial pelo governo federal, “porque é lá que as coisas acontecem”.

Sopelsa enfatiza que o combustível e o gás de cozinha, nos últimos oito meses, subiram mais de 50%. A cesta básica cresceu mais de 30%. Neste mesmo período o poder aquisitivo da população é o mesmo, ou ainda menor, “e nós continuamos ouvindo que a inflação do país está em menos de 4%. É um momento que o país vive que é preciso tomar uma providência, e quem pode ajudar a resolver este problema é o nosso governo federal”.

Sopelsa disse que nos alimentos a crise é flagrante e a população está enfrentando custos elevados. E que os produtores, na outra ponta, ganham praticamente o mesmo, praticamente não teve reajustes para a produção, por exemplo, de leite ou carne, de aves e suínos, mas esses produtos chegam com grande elevação de preços para o consumidor final. “Há um grande descompasso entre quem produz e quem consome”.