Mostra de Cinema relembra história e cultura da região do Contestado

Na quarta-feira (25), Joaçaba e Chapecó comemoram 104 anos. A história destes municípios, e de toda a região, está intimamente ligada à Guerra do Contestado, o maior conflito brasileiro envolvendo caboclos, posseiros, e as forças militares, ocorrido entre 1912 e 1916. A disputa envolveu a disputa por uma faixa de 30 quilômetros a cada margem da ferrovia Rio X São Paulo, explorada pela empresa Brazil Hailway Company, de Percival Farquhar, que também era proprietário da madeireira Brazil Lumber e Colonization Company, que passou a explorar a produção de madeira, deixando um contingente de milhares de desempregados. Alguns personagens foram marcantes no desenrolar desta história. Entre eles, o monge João Maria, Adeodato, Maria Rosa e Chica Pelega.

Em 2021, Joaçaba resolveu antecipar esta comemoração para a segunda-feira (23. Neste mesmo dia, a mostra de cinema Chica Pelega – Contestado em Foco, relembra esta história. As três salas do Cine Gracher, em Joaçaba, recebem simultaneamente Nove filmes, selecionados pelo cineasta Rudolfo Auffinger Filho, da Pupilo TV. Os filmes serão exibidos em dois horários, às 11h e às 13h30 e cada sessão será seguida de debate.

Todos os protocolos serão respeitados: uso de máscara, álcool para a higienização das mãos e a capacidade de ocupação das salas será de 50% dos seus assentos. A mostra foi dividida em três categorias.  A primeira, Filhos da Terra, traz O Ritual da Resistência Kaingang (2014), que mostra traços da cultura indígena, e o longa-metragem Terra Cabocla (2015), com depoimentos de caboclos que resistem à luta pela terra.

A segunda categoria, Causos e Contos, mostra O Primeiro Assalto ao Trem Pagador (2013), que conta com trilha sonora de Gabriel Sater (filho de Almir) e participação do comunicador Che Mendes. Além dele, Maria Rosa – a Guerreira do Contestado (2011), retrata outra personagem mulher que foi importante no contexto da guerra. O curta – metragem Larfiagem (2017) conta a história da “língua” utilizada por um grupo de 15 meninos de oito a 12 anos – maleiros, engraxates – usavam para se comunicar, nos anos 1950, na Estação de Trem de Herval d´Oeste.

A terceira categoria, Nossa Memória, traz a reportagem Meninos do Contestado (2012), publicada no Estado de São Paulo, a respeito do conflito. E ainda mostra um Olhar Contestado (2012) , um questionamento sobre a veracidade das imagens posadas da guerra. Além de Irani (1983), curta-metragem do cineasta Rogério Sganzerla, onde ele filma com a câmera na mão, uma parada realizada naquele município em alusão à Guerra do Contestado. E, para fechar, PSW, uma crônica subversiva (1987) retrata o ex-deputado Paulo Stuart Wright, que “desapareceu” nos anos 1970, durante a ditadura militar.

O ingresso pode ser adquirido pelo site oficial ou presencialmente, na Móveis Willy (Av. Rio Branco, 125 – Centro de Joaçaba), no valor de R$ 10 (dez reais) até a hora do evento.  Pedimos que seja levado um quilo de alimento não perecível, que será doado a instituições de caridade do município. Confira a programação completa:

Sala 1 –  13h30 – MOSTRA FILHOS DA TERRA 

O RITUAL DA RESISTÊNCIA KAIGANG   

Cassemiro Vitorino e Ilka Goldschmidt

2014 – 34 min.

 

 

TERRA CABOCLA 

Marcia Paraiso e Ralf Tambke

2015 – 82 min.

 

 

Sala 2 –  11h / 13h30 – CAUSOS E CONTOS

LARFIAGEM     

Gabi Bresola,

2017 – 26 min.

 

 

PRIMEIRO ASSALTO AO TREM PAGADOR

Ernoy Luiz Mattiello

2013 – 56 min.

 

 

MARIA ROSA – A GUERREIRA DO CONTESTADO

Danubia Piva e Janaína Mônego

2011 – 16min.

 

 

Sala 3 –  11h – NOSSA MEMÓRIA 

PSW, UMA CRÔNICA SUBVERSIVA   

Indicação16 anos

Paulo Halm, Luiz Arnaldo Dias Campos

1987 – 50 min

 

Sala 3 – 13h30 – NOSSA MEMÓRIA 

IRANI 

Rogério Sganzerla

1983 – 8 min

 

 


OLHAR CONTESTADO

Fabianne Batista Balvedi

2012 – 15 min

 

MENINOS DO CONTESTADO

Leonencio Nossa e Celso Junior

2012 – 17 min.

 

 

(Fonte Blog Unoesc)