Vereador pede solução imediata para mau cheiro de decantação do Simae

Foto Divulgação

Moradores já não suportam a situação das lagoas que se prolonga há mais de uma década no bairro Nossa Senhora Aparecida, em Herval d´Oeste.

“Esta é uma novela que não tem mais fim, há mais de 10 anos que os moradores reclamam, o Simae toma algumas medidas, mas não coloca fim ao problema. Os moradores não suportam mais esta situação”. Esta foi a declaração do vice-presidente da Câmara de Vereadores de Herval d´Oeste, o vereador do PL Everton Parisenti, autor do Requerimento nº 055/2021, aprovado por unanimidade na sessão online desta segunda-feira (24).

O vereador quer que o Serviço Intermunicipal de Água e Esgoto de Joaçaba, Herval d’ Oeste e Luzerna (Simae), seja oficiado. O vereador solicita informações em relação ao mau cheiro nas proximidades da Lagoa de decantação de esgoto localizada no Bairro Nossa Senhora Aparecida. “Entendemos a importância de termos o saneamento básico em perfeitas condições de funcionamento nos municípios de Herval d’Oeste, Joaçaba e região. No entanto, até o presente momento o que se percebe é o que o município de Herval d’Oeste está ficando somente com o ônus, ou seja, prejuízo, pois a reclamação é constante nas proximidades das lagoas de decantação, sendo que até os terrenos próximos as lagoas estão sendo desvalorizados, devido ao forte e insuportável odor”.

O vice-presidente da Câmara de Vereadores destaca que quando a lagoa foi implantada, nos anos 80, a cobertura de saneamento básico de Herval d’ Oeste era de 15% e hoje chega a 80%, o número de moradores neste período aumentou significativamente. “É impossível que o Simae não tenha se planejado para esta situação, Joaçaba também usa a lagoa de decantação de Herval d’ Oeste, isso não é correto, sei que o Simae fez várias tentativas, merece nosso respeito, mas temos que buscar uma solução definitiva para o problema”.

Everton Parisenti solicita uma manifestação da autarquia, dos procedimentos a serem adotados pelo Simae em benefício da solução deste problema, solicitando os seguintes esclarecimentos: Quais são os procedimentos adotados até o presente momento para conter o mau cheiro? Quais os procedimentos adotados a curto, médio e longo prazo? Existe alguma rubrica no orçamento da autarquia (recursos) específicos para resolver esta questão do tratamento de esgoto?