Moisés prevê agravamento da pandemia em SC nos próximos dias

Foto: Amanda Farias/Ascom  Cocal do Sul

Conforme anteciparam nos dias 14 e 20 de maio o jornal Raízes Diário e o site RD, estado vive momento delicado em relação à pandemia. Santa Catarina tem o maior número de pacientes em tratamento contra a Covid-19 nos últimos 33 dias. No total, são 21.115 pessoas com capacidade de transmitir o vírus nesta sexta-feira.

Rodrigo Leitão
jornalismo@raziesdiario.com.br

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL), confirmou nesta quinta-feira (20) duas manchetes publicadas recentemente pelo jornal Raízes Diário e pelo site RD, cujas reportagens mostravam o agravamento da pandemia do novo coronavírus no estado e o temor do governo de que uma terceira onda de covid-19 se abatesse sobre SC. Moisés admitiu o agravamento da crise sanitária provocada pela doença já para os próximos dias. Em visita a Criciúma, no Sul catarinense, a 369 km de Joaçaba, o governador confirmou a apreensão expressada na semana passada pelo secretário de Saúde, André Mota Ribeiro.

Segundo o boletim do coronavírus divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) na noite de quinta, o estado tem o maior número de pacientes em tratamento contra a Covid-19 em 33 dias. São 21.115 pessoas que têm a capacidade de transmitir o vírus nessa situação.

“Estamos nos aproximando de dias que devemos ter um agravamento da crise da Covid-19. Nossos gráficos indicam, nossos mapas indicam. Eu já recebo dos governadores dos estados vizinhos notícia de que tem reflexo tanto no número de casos ativos, casos de óbitos, já tem reflexo, negativo obviamente, de uma onda que se aproxima. Em Santa Catarina não será diferente”, declarou Carlos Moisés.

UTIs LOTADAS
A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública está em 93,93%. Se forem levados em conta apenas os leitos para adultos e reservados para Covid, a taxa é de 94,36%. Com a demanda nos hospitais, há 27 pessoas à espera por um leito em UTI.

Durante a visita em Criciúma, o governador ressaltou a importância de respeitar as medidas sanitárias e disse que é preciso fortalecer a fiscalização das regras. “Como é uma doença da sociedade, do coletivo, nos temos que agir na coletividade e atuando na prevenção, acreditando na ciência, esperando a vacina e acelerando o processo de vacinação”, disse o governador.

JOAÇABA
Em Joaçaba, desde março do ano passado até esta terça-feira, dia 18, 5.204 pessoas contraíram o vírus da Covid-19. Até o momento, o município registrou 52 mortes e soma 311 casos ativos. Isso quer dizer que 17% da população já foi infectada pelo novo coronavírus e que a taxa de mortalidade está em 1%. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o percentual recomendável para deter a doença é 0,75%. Ou seja, Joaçaba está 25 pontos percentuais acima da melhor probabilidade de aniquilação da pandemia.

Apenas esta semana, entre segunda e quinta-feiras, quatro joaçabenses perderam a luta contra a Covid. Esses óbitos mantêm a média de morte do município em torno de 6,5 casos ao mês.

Na região, envolvendo também os municípios de Luzerna e Herval D’Oeste, os números são mais alarmantes, pois já contam-se 109 óbitos (47 em Herval, 52 em Joaçaba e 10 em Luzerna) em decorrência da covid-19, nos últimos 8 meses, desde o primeiro caso registrado em julho de 2020. Isso significa uma perda a cada 2 dias ou a cada 54 horas. De acordo com os boletins epidemiológicos de Joaçaba, Herval D’Oeste e Luzerna, neste momento, 514 pessoas estão infectadas com covid-19 nos três municípios. Outras 1.002 estão sendo monitoradas.

Com informações do G1