Família desmente boletim de Joaçaba que anunciou morte de mulher por Covid-19, em Capinzal

Secretaria de Saúde admitiu o erro e expediu nota pedindo para que se desconsiderasse a informação passada na segunda-feira. A paciente de 57 anos está viva e segue internada.

Rodrigo Leitão
jornalismo@raizesdiario.com.br

Outro problema de informação desencontrada ocorreu na manhã desta terça-feira, na fila de vacinação das comorbidades, no Parque Municipal Ivan Oreste Bonato. Pacientes com Diabetes Mellitus que chegavam para tomar a primeira dose da vacina (em Joaçaba está sendo aplicada a da Fio Cruz/Astrazeneca) eram surpreendidos com pedido de uma declaração do médico ou do Posto de Saúde, comprovando a doença.

No último dia 5 de maio, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Joaçaba divulgou a seguinte informação: “Para receber a primeira dose neste grupo de comorbidades, os pacientes devem apresentar um documento (atestado/declaração médica a ser retirado nos postos de saúde, EFs), que comprove a sua condição médica, além de documento de identidade (RG), comprovante de residência e carteira de vacinação, caso possua.”

Mas ao chegar ao EFS 2, na Rua Getúlio Vargas, os pacientes com Diabetes que foram pedir a tal declaração tiveram como resposta que “basta apresentar a receita que está valendo com a indicação para Cloridrato de Metformina e insulina (medicamentos de uso contínuo por diabéticos).” Mas ao chegar para vacinar, a Vigilância Epidemiológica estava cobrando a tal declaração. “É uma exigência do Ministério da Saúde”, disse uma atendente. Em todo caso, para que o paciente não perdesse a viagem, era dado um “jeitinho”, arquivando uma cópia da receita.

No caso deste desencontro de informações, o que afeta o trabalho jornalístico de qualquer veículo sério de comunicação, pois induz o leitor e ou internauta a erro, nós havíamos publicado a informação do EFS 2 como verdadeira (e a notícia não foi contestada pela Secretaria de Saúde). Veja o que publicamos: “De acordo com informações obtidas pela reportagem do RD no EFs 2, da Rua Getúlio Vargas, em Joaçaba, o grupo de portadores de diabetes mellitus é uma prioridade e as receitas têm duração de um ano. Ou seja, estão valendo receitas emitidas a partir de 10 de maio de 2020.”

No final da tarde de ontem, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Joaçaba enviou mensagem, por WhatsApp, reconsiderando a informação sobre a morte da paciente de 57 anos que está viva e internada em Capinzal.