Primeiro dia de vacinação para comorbidades atende mais de 100 pessoas

Secretaria de Saúde recebeu mais de 600 doses para serem aplicadas até sexta-feira, nessa primeira fase. O movimento foi intenso na manhã desta segunda-feira, no Parque Ivan Oreste Bonato.  Quem foi à tarde não gastou mais que 5 minutos para ser atendido.

Foto: RD Comunicação/JBA

Rodrigo Leitão
jornalismo@raizesdiario.com.br

O casal Kiely e Djalma Hack comemorou a primeira dose da vacina contra a Covid-19, que está sendo aplicada em pacientes com comorbidades e de 50 a 59 anos, no posto montado pela Secretaria de Saúde no Parque Municipal Ivan Oreste Bonato. Aposentados, ele chegaram a pé à tenda em frente a administração, por volta das 14h30, e nem precisaram esperar. Em menos de cinco minutos cada um deles tomou a primeira dose da vacina.

“Eu não via a hora de chegar o meu momento de vacinar”, festejou Djalma Hack. Ele defendeu que “a vacina é a única forma de poder evitar esse vírus maldoso” e convocou os joaçabenses: “As pessoas tem que vir fazer a vacinação.”

Kiely Hack disse que “com certeza tem que vir ao Parque e se vacinar.” Para ela, “é muito importante para nós, para nossos familiares e amigos e para que isso tenha um basta.” Kiely destaca que a vacinação é uma questão de conscientização, “a gente tem que fazer isso, pro nosso bem estar.”

A enfermeira Bárbara Brollo Picoli, da Vigilância Epidemiológica e que está de plantão no Parque para auxiliar os pacientes, disse que o município recebeu mais de 600 doses para serem aplicadas até a próxima sexta-feira, dia 14. “A expectativa é vacinar todo mundo dessa faixa etária do moimento”, disse a especialista.

Bárbara faz um apelo para que as pessoas compareçam ao local de vacinação, já que mesmo atendendo mais de 100 pacientes nesta segunda-feira. A expectativa da Secretaria não foi superada, conforme,  inclusive, alegou o secretário de Saúde, Valmor Reisdorfer.

“Se você se encaixa nessas comorbidades e está na faixa etária dos 50 aos 59 anos, venha vacinar”, incentiva a enfermeira. Débora também alerta as mulheres que tiveram bebês nos últimos 45 dias que é fundamental que elas tomem a vacina. Além de pacientes de outras comorbidades (Veja Quadro).