Enterradas vítimas de atentado em creche de Saudades

Após uma missa de corpos presentes, uma pequena multidão acompanhou o cortejo no trajeto de 300 metros entre o local do velório e o Cemitério Municipal.

Foram enterrados na manhã desta terça-feira, dia 5 de maio, os corpos das vítimas do atentado à creche Pró-Infância Aquarela, em Saudades, no Oeste catarinense. Por volta das 10h50, após a missa de corpos presentes, celebrada no Parque de Exposições Theobaldo Hermes onde ocorria o velório coletivo, a 300 metros do Cemitério Municipal, a comunidade, amigos e familiares seguiram em caminhada para o sepultamento.

As três crianças mortas no ataque à creche Pró-Infância Aquarela, na rua Quintino Bocaiúva, bairro Industrial, em Saudades, foram sepultadas lado a lado no cemitério da pequena cidade do Oeste de Santa Catarina. As vítimas eram todas bebês: Sarah Luiza Mahle Sehn (1 ano e 7 meses), Anna Bela Fernandes de Barros (1 ano e 8 meses) e Murilo Massing (1 ano e 9 meses).

Sarah Luiza Mahle Sehn (1 ano e 7 meses), Anna Bela Fernandes de Barros (1 ano e 8 meses) e Murilo Massing (1 ano e 9 meses). Fotos: Reprodução

Duas funcionárias da creche que estavam com as crianças na sala de aula quando houve o atentado,  a professora Keli Adriane Aniecevski (30 anos) e a agente educadora Mirla Amanda Renner Costa (20 anos) também foram mortas pelo jovem Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, autor do crime brutal. Ele entrou na escola com uma Katana, tradicional espada japonesa, popularmente conhecida como “espada ninja”, e desferiu ao menos cinco golpes contra cada uma das crianças e educadoras.

SOBREVIVENTE
O Hospital Regional do Oeste, de Chapecó, informou que o bebê de 1 ano e 8 meses, ferido durante o ataque a creche no município de Saudades, nesta terça-feira, dia 4, está internado na UTI pediátrica. De acordo com o boletim médico expedido na manhã desta quarta-feira, dia 5, o quadro clínico do menino é considerado estável.

Segundo o pai, o menino sofreu ferimentos no rosto e no tórax. Ele passou por uma cirurgia devido aos ferimentos. Ele foi encaminhado à unidade hospitalar com ferimentos na bochecha, barriga e lábios, além de perfuração em um dos pulmões.

BARBÁRIE
O Instituto Geral de Perícia (IGP) informou que todas as vítimas receberam vários golpes com a arma utilizada no crime. Uma das crianças teve cinco perfurações nas costas, uma no tórax, e dois ferimentos na cabeça; outra criança teve três ferimentos no abdômen dois no tórax e um nas costas.

Uma terceira criança teve perfurações na costas, uma no glúteo, duas no tórax e um no abdômen na lateral direita. A professora foi golpeada duas vezes na perna direita próximo ao calcanhar e uma na perna esquerda, quatro nas costas e uma no braço esquerdo. A outra servidora, que foi a óbito após ser socorrida, teve dois ferimentos no abdômen.

DOR DE MÃE
“Nenhuma mãe quer passar por essa tragédia”, disse Alexandra Drachler Bach, resumindo o sentimento de todas as mães que souberam do ataque brutal em Saudades. Muito emocionada com a filha no colo, a pequena Ana Julia, de 10 meses, ela contou que conhecia todas as vítimas. “Como os pais vão superar? Não faço nem ideia. Espero que jamais isso aconteça novamente”, disse ao contar que conhecia todas as vítimas.

Velório das vítimas da tragédia em creche de Saudades. Foto: Mateus Castro/ NSC TV

VELÓRIO
Comovida e ainda atônita, a cidade de Saudades enfrentou um velório sofrido das cinco vítimas mortas no atentado à escola infantil Pró-Infância Aquarela. A despedida começou por volta das 23h desta terça-feira, dia 4 de maio, no Parque de Exposições Theobaldo Hermes, onde funciona o ginásio da cidade.

Na manhã desta quarta quarta-feira, dia 5 de maio, uma multidão se aglomerava no espaço, ignorando inclusive os riscos de contágio por Covid-19 (Saudades está localizada em área de “Risco Gravíssimo”). Os familiares das crianças ficaram a todo o momento ao lado dos caixões, muito abalados.

Os corpos das três crianças, da professora e da agente educativa chegaram por volta das 3h, desta quarta-feira, dia 5 de maio. Uma hora depois, familiares e amigos das vítimas fizeram uma pequena celebração. Às 9h, uma missa de corpo presente começou no local. A Prefeitura Municipal de Saudades, por meio de sua Assessoria de Imprensa, informou que o sepultamento ocorreria em seguida, no Cemitério Municipal de Saudades.

Keli Adriane Aniecevski (30 anos) e a agente educadora Mirla Amanda Renner Costa (20 anos) tentaram proteger as crianças. Foto: Reprodução/Rdes Sociais

ENTENDA O CASO
Na manhã desta terça-feira, dia 4 de maio, Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, invadiu a escola infantil Pró-Infância Aquarela, em Saudades, portando uma espada Ninja, igual a utilizada por personagens de jogos virtuais da internet. Sem nenhuma razão aparente, ele esfaqueou duas professoras e três crianças. A escola conta com cerca de 80 crianças em idade entre 2 meses e 6 anos. Todos os outros alunos foram salvos.

Fabiano chegou de bicicleta na escola, por volta das 10h. Segundo informou o delegado de Pinhalzinho, Jeronimo Marçal Ferreira, responsável pelo caso, ele portava o que parecia ser uma faca grande, mais tarde identificada pela polícia como sendo uma “espada ninja” conhecida como

Fabiano Kipper Mai foi contido dentro do prédio pelos vizinhos

Quando invadiu a escola, Fabiano entrou em uma sala de aula e desferiu espadadas contra quatro crianças e as duas professoras. Um menino sobreviveu e socorrido por uma professora que mora na casa em frente a creche. Ele foi transferido ao Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, que fica a 75 quilômetros de distância de Saudades.

O restante dos alunos, crianças e bebês, foram salvos pelas demais professoras. Eles se trancaram em outras salas da escola. Fabiano Kipper Mai foi contido dentro do prédio pelos vizinhos que ouviram os gritos e seguiam para o local para socorrer as vítimas. Neste momento, ele tentou se matar.

 

Com informações do G1 SC, ND+, Oeste Mais e Canal Ideal

Katana, tradicional espada japonesa usada pelos samurais.