Coluna Pelo Estado – Silêncio constrangedor

A publicação do deputado Jessé Lopes (PSL) em suas redes sociais oferecendo churrasco a PMs que matarem “vagabundos” soou um tanto quanto constrangedora para parte dos policiais militares que não concordam com a fala do parlamentar. No instagram do comandante da Guarnição Especial, tenente-coronel Daniel Nunes Da Silva, que anunciada o novo policial corregedor da Guarnição, o deputado escreveu “Boa! Já sabem né?! Cada vagabundo que colocarem no ‘colo do capeta’ eu pago um churrasco! TMJ! Força e honra!”.

A publicação ainda recebeu endosso de superiores militares e de uma vereadora de Garopaba.

O silêncio diante do caso, para muitos, pode ser entendido como salvo conduto para aumento da violência policial. E, mais uma vez, a hierarquia da caserna impediu manifestações públicas de subalternos.

A violência policial ganhou destaque nas últimas semanas com a divulgação de cenas de abusos de autoridade.

Reunião. À Coluna, deputado João Amin (PP) disse que reprova atitude do secretário da Casa Civil, Amândio João da Silva, que deixou uma reunião com líderes da Alesc no meio da conversa, esta semana. O encontro foi promovido pela líder do governo, deputada Paulinha (PDT), para debater questões em torno das emendas parlamentares. “Deixou os deputados falando igual bobos”, disse Amin. Apesar de avanços, a relação entre a Casa d’Agronômica e o Palácio Barriga Verde ainda não está afiada.

39 deputados e ex-deputados já foram contemplados com as emendas impositivas de 2019 pagas pelo governo Moisés. Até a primeira semana de junho, cerca de R$ 43,8 milhões pagaram 228 emendas impositivas à Saúde. A verba irá atender diretamente 140 municípios de todas as regiões de Santa Catarina.

Setor têxtil. O Sebrae/SC e a Renner vão atuar em conjunto em um projeto para dar suporte às pequenas empresas do setor têxtil. Em SC, a iniciativa vai beneficiar 85 empreendimentos com consultorias online e gratuita sobre gestão financeira, linhas de crédito disponíveis no mercado e ferramentas para enfrentar a pandemia. Em março de 2020, o Sebrae/SC identificou que 64% das empresas não haviam feito levantamento dos impactos da crise.

Moção. Vereador Maikon Costa (PL) de Florianópoli pediu para retirar voto que deu em moção de aplausos ao ministro Jorge Mussi, aprovada pela Câmara em abril deste ano. Mussi, que vai assumir a vice-presidência do STJ, teria usado de seu cargo como desembargador para atrapalhar processo de reconhecimento de paternidade do filho, Tiago Silva, atual diretor estadual do Procon.

Aposentados. O Senado aprovou projeto que suspende, temporariamente, o pagamento das prestações de crédito consignado. A medida tenta reduzir os efeitos econômicos da pandemia e vai beneficiar aposentados em todo Brasil. Conforme o texto, as prestações suspensas serão prestações extras, com vencimento nos meses seguintes da última prestação. O PL teve apelo do senador Dário Berger (MDB), autor de proposta semelhante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *