Coluna Pelo Estado – O rastro dos R$ 33 milhões

A prisão do ex-secretário Douglas Borba (foto), do advogado Leandro Adriano de Barros e de mais três envolvidos fora do estado, incluindo presidente da Câmara de São João do Meriti, Davi Perini Vermelho, o Didê (DEM), e o empresário Fábio Guasti, podem trazer novas pistas sobre o rastro do dinheiro pago antecipado pelo governo catarinense à empresa Veigamed pelos 200 respiradores nunca entregues.

As detenções, na segunda fase da Operação Oxigênio, deflagrada no sábado, se mostrou necessária diante da tentativa dos investigados de apagarem provas.

Nos pedidos de prisões, Ministério Público apontou para forte ligação entre Barros e Borba, apesar das inúmeras tentativas dos dois em demonstrarem que eram apenas “colegas”. Barros por sua vez é o elo com o empresário Paulista, Fábio Guasti, que aparece como verdadeiros interessados na compra, e que teria usado a Veigamed como uma espécie de laranja para toda essa negociação.

O rastro do dinheiro pago pelo Estado continua sendo perseguido. Os investigadores já descobriram que, dos R$ 33 milhões que saíram dos cofres públicos estaduais, R$ 22 milhões foram diluídos em várias transferências para contas diversas ainda no mês de abril. Os R$ 11 milhões bloqueados em uma conta judicial foram utilizados, por exemplo, para uma suposta compra de kits de teste rápido de detecção da covid-19 e não na aquisição dos respiradores.

Até agora só foi possível encontrar e bloquear cerca de R$ 12 milhões, ou seja, um pouco mais de um terço dos R$ 33 milhões supostamente desviados. “Trata-se, possivelmente, do crime mais perverso cometido na história recente catarinense”, narraram os integrantes da força-tarefa.

Mulher negra – O deputado federal Hélio Costa (Republicanos) destacou o legado deixado pela ex-deputada catarinense Antonieta de Barros na luta pelo direito ao voto das mulheres, pela educação e pela igualdade racial. A primeira deputada negra do país está na exposição “As Sufragistas” na Câmara Federal.

Eleições – O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, deve definir até o final deste mês se as eleições serão mesmo adiadas e qual seria a nova data do pleito.

Flexibilização – A deputada estadual Luciane Carminatti (PT) questionou a falta de transparência e segurança em relação aos critérios para o que chama de flexibilização total da quarentena. Ela reclama que após três meses de pandemia o estado sequer tem testes suficientes para todos.

Praças – A Associação dos Praças de Santa Catarina, a APRASC, promove nessa quarta-feira, 10, a primeira Assembleia  ao vivo pela internet, pela página do Facebook. Serão apreciadas três pautas: Descontos em razão da reforma previdenciária de 2015; Indenização por insalubridade para bombeiros e policiais militares e a suspensão, por 60 dias, dos descontos
dos consignados.

Vírus – O CORONAVÍRUS já chegou a 218 municípios, de 295. E com o retorno dos ônibus nesta segunda em várias cidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *