Badesc libera primeiras operações de crédito de linha emergencial

Foto: Cristiano Estrela/Secom

Carlos Moisés destacou que a liberação do crédito é fundamental para a retomada da economia em meio à crise provocada pela pandemia. Ele também lembrou o Estado mantém a menor taxa de desemprego do país, conforme divulgado pelo IBGE mais cedo nesta sexta-feira.

“Nosso foco está na manutenção dos empregos. Em um momento como esse, é fundamental cuidar das pessoas. O Estado precisa estar presente. A qualidade do empreendedor catarinense é muito alta e tenho certeza que Santa Catarina vai sair mais forte dessa pandemia”, afirma o governador.

O presidente do Badesc, Eduardo Alexandre Corrêa de Machado, lembrou que as primeiras liberações de crédito são importantes, porém a instituição já trabalha na ampliação dos valores disponibilizados.

“Estamos trabalhando para ampliar o crédito aos catarinenses. Nós entendemos o momento e sabemos da importância desse fomento. Nosso foco está em ampliar as fontes desses recursos para possibilitar uma recuperação mais rápida da economia”, afirmou Eduardo

Machado destaca que em quase duas semanas foram enviados 52 contratos (R$ 5,9 milhões); 114 propostas estão em fase de contratação (R$ 13,1 milhões); 181 solicitações estão em análise (R$ 17,7 milhões) e outras 159 propostas, que totalizam R$ 17,4 milhões, necessitam ajustes por parte dos empresários para prosseguimento. Os indeferimentos somam 82 propostas que não cumpriram regras da linha. O levantamento é do dia 14 de maio.

Fomento ao turismo

Além dos R$ 50 milhões da Linha Badesc Emergencial, a agência de fomento trabalha em parceria com a Santur na disponibilização de R$ 20 milhões da linha Fungetur, do Ministério do Turismo. Esses recursos estão sendo oferecidos aos empresários que estão na fila de espera, seguindo a ordem de envio da documentação.

O Badesc negocia o aumento dos recursos com fontes internacionais e ampliação do limite com BNDES, Ministério do Turismo e Finep para atendimento a um maior número de empreendedores.

Renegociações e postergação

Desde o início da pandemia da Covid-19, o Badesc também anunciou a postergação (interrupção dos pagamentos), em até seis meses, de parcelas de contratos para seus clientes. Apuração realizada no mês de abril apontou 156 empresas atendidas, representando impacto de R$ 7,1 milhões. Com este cenário, estima-se que o impacto ao longo dos próximos seis meses será superior a R$ 35 milhões.

Fonte Secom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *