Unoesc se posiciona sobre o andamento das aulas e mensalidades

Foto Divulgação

Com a prorrogação do decreto 525 do Governo do Estado, que estabelece o completo isolamento nas instituições de Ensino de todos os níveis até dia 31 de maio, a Unoesc, por meio do seu Reitor, professor Aristides Cimadon, vem a público esclarecer algumas questões relacionadas ao andamento das aulas e ao pagamento das mensalidades.

AULAS

O professor Cimadon explica que, após reunião com as instituições da Acafe, as Instituições de Ensino devem seguir o que determina o Decreto 525/2020 do Estado de Santa Catarina, retornando às atividades presenciais apenas no mês de junho. Diante disso, as aulas teóricas e as atividades das disciplinas que puderem ser realizadas de maneira síncronas e assíncronas, por meios tecnológicos, sob a orientação que será encaminhada pela Pró-reitoria, continuarão acontecendo de forma remota. As instituições da Acafe, de forma conjunta, encaminharam um pedido ao Governador para autorizar a abertura dos laboratórios e atividades de estágio que prestam atendimento ao público, como a área da saúde, Direito e outros serviços e está aguardando posicionamento. Laboratórios que não atendem diretamente ao público e que prestam serviço, considerando os cuidados orientados pela organização de saúde e as normativas federais, estaduais, municipais poderão ser ativados.

MENSALIDADES

Sobre as reivindicações dos alunos para a diminuição das mensalidades, Cimadon explicou que a posição da Universidade, assim como da Acafe, sob a orientação do Procon e do Ministério Público, é de, neste momento, não promover redução de mensalidades.  No entanto, a Universidade com base na orientação do Ministério Público e do Procon irá isentar a cobrança de multa e de juros das mensalidades a serem pagas com atraso, analisar os casos dos que tiveram dificuldades em efetuar os pagamentos e parcelar as pendências daqueles que realmente demonstrarem não conseguir arcar com as dívidas. Será realizado também até o final do mês de maio, com acompanhamento do Ministério Público, um estudo no qual se demonstrará como as finanças das instituições estão. Se de fato, a Universidade demonstrar condições ou ainda, um resultado positivo advindo de diminuição de custos referente a água, luz, despesas de viagens etc., repassará o percentual em diminuição das mensalidades subsequentes.

“Esse é o caminho que vamos tomar. Estamos em contato constante com o presidente do nosso DCE, Lucas Scalabrin, encaminhando essas soluções e abertos para resolver os problemas que os estudantes tiverem. A Instituição é comunitária, deseja ajudar seus estudantes, professores, funcionários e isso se repete na educação Básica que a Unoesc administra”, comentou Cimadon.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *