Em manifesto, Cofem pede mais diálogo ao governo de SC

Com a crise desencadeada pela pandemia do novo coronavírus, e suas estarrecedoras consequências, especialmente sociais, o diálogo é ainda mais urgente, afirmam as entidades que integram o Conselho.

Desde o início do atual Governo, o Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (Cofem) tem reiterado a importância do diálogo com o setor produtivo sobre as questões relativas ao desenvolvimento do Estado. “Com a crise desencadeada pela pandemia do novo coronavírus, e suas estarrecedoras consequências, especialmente sociais, isso se torna ainda mais urgente. Todos colocamos a vida em primeiro lugar, mas é fundamental encontrar uma equação que permita garantir a saúde das pessoas e, também, a subsistência delas. Isso, por sua vez, depende da sobrevivência de nossas empresas e da possibilidade de manutenção dos respectivos empregos que elas geram”, afirmam as entidades em manifestação.

Em manifestação divulgada na tarde de quinta-feira (16), as entidades que representam todos os setores da economia catarinense, manifestam estranhamento com o fim das reuniões do grupo de trabalho para discutir as questões ligadas à pandemia. “As reuniões, que eram diárias, foram suspensas e o diálogo interrompido. Causa estranheza ao Cofem, como membro do grupo de trabalho, tomar conhecimento, pela imprensa, de decisões importantes tomadas pelo Governo”, ressaltam as entidades, lembrando que é urgente avançar na construção de protocolos que permitam a segurança para as pessoas e o aumento da atividade econômica em Santa Catarina, pois as pesquisas mostram que os impactos no emprego são dramáticos.

“Temos que avançar. O momento exige humildade e união. Muitos podem contribuir, inclusive os que reconhecidamente têm serviços relevantes prestados a Santa Catarina”, diz o texto da manifestação, destacando a preocupação do Cofem com a iminente desestruturação social do estado. As entidades finalizam reafirmando o “compromisso de continuar contribuindo com a saúde das pessoas e a sobrevivência das empresas catarinenses, que são instrumentos de geração de empregos e cidadania.

O Cofem é composto pelas Federações das Indústrias (Fiesc), do Comércio (Fecomércio), da Agricultura (Faesc), dos Transportes (Fetrancesc), das Associações Empresariais (Facisc), das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) e das Micro e Pequenas Empresas (Fampesc).

(Fonte Assessoria de Imprensa da Fiesc)