GASTRONOMIA: Conheça a história dos quatro principais queijos italianos


Quinta-feira, dia 21, foi Dia do Imigrante Italiano, então, hoje, nosso cardápio informativo é sobre Parmesão, Gorgonzola, Musserala e Provolone. Além de uma receita especial do delicioso Pão Italianíssimo.

Você sabia que o Brasil é o país com maior quantidade de descendentes italianos do mundo? Há, segundo a pesquisa de 2018 da Rapporto Italiani nel Mondo da Fondazione Migrantes, cerca de 30 milhões de brasileiros com esse perfil.

Entre 1870 e 1940 foram anos com o maior fluxo de imigrantes no Brasil. Como os italianos tiveram uma importância imensurável para a construção, estabelecimento e desenvolvimento do país, foi estipulado em 21 de fevereiro o Dia Nacional do Imigrante Italiano. A data foi escolhida para homenagear a expedição comandada, em 1874, por Pietro Tabacchi ao Espírito Santo.

A Itália é conhecida como o país da massa, principalmente, com receitas de macarrão. Mas, você sabia que também é reconhecida mundialmente pelos excelentes queijos que surgiram lá? São os casos do parmesão, provolone, gorgonzola e mussarela, por exemplo.

PARMESÃO
“Parmigiano”, também chamado na antiguidade de “caseus parmesis”, tem mais de oito séculos de existência, tendo surgido em 1.200 D.C., na região de Parma na Itália.

Acompanhamentos: é um queijo indicado para ser consumido puro, para gratinar massas e outros alimentos, em molhos e também ralado para realçar o sabor de pratos culinários e alimentos industrializados. Fica ótimo acompanhado vinho encorpado ou cerveja.

PROVOLONE
É um queijo de “massa filada”, que tem nas regiões da Lombardia, Veneto e Cremona, sua mais importante produção. Diz-se “massa filada” porque após a fermentação da massa lática ela é esticada e rejuntada a quente. Produzido com puríssimo leite de vaca selecionado, é moldado em formas tubulares. Depois disso é amarrado artesanalmente, submetido à salga longa, secado e defumado por cerca de cinco horas em câmaras especiais. A defumação até hoje é natural e feita com casca de pinho, o que garante sabor único e o tom castanho-dourado da casca que recobre o queijo. Após longo período de maturação, o queijo está pronto para a venda. A maturação é um importante diferencial, pois faz com que o produto crie consistência mais firme e  adquira sabor e aroma intensos.

Acompanhamentos: normalmente servido como aperitivo, pode ser ralado para polvilhar pratos, usado em gratinados, sanduíches, recheio de salgados e pães ou servido derretido, acompanhando carnes e batatas. Pelo seu sabor pronunciado, deve ser servido com vinhos tintos encorpados. Já para o nosso clima tropical, recomenda-se a degustação com cerveja.

GORGONZOLA
Surgiu por volta do século X no vale do Rio Pó, na cidade que leva seu nome. Diz a lenda que o nascimento deste queijo, de aparência marmorizada e veios esverdeados, ocorreu, por acaso e por amor. Um queijeiro, em 879, estava tão apaixonado por uma moradora da cidade que, após correr atrás dela, deixou pela metade o processo de produção do Stracchino, um tipo de queijo de leite de vaca com massa mole e úmida. Ao retornar para a queijaria, logo percebeu o que tinha acontecido e tentou dar um jeitinho para que o seu emprego não corresse risco. Ele misturou um pouco de leite recém-ordenado ao leite da noite anterior e o escondeu na sala de maturação para que o seu patrão não visse, dessa mistura, nasceu o delicioso Gorgonzola.

Acompanhamentos: delicie puro ou em pastas, acompanhado de um pedaço de pão italiano ou torrada. A combinação com uvas verdes e mel é surpreendente. Este tipo de queijo permite ousar na hora de degustá-lo. Vinhos mais adocicados, como Vinho do Porto, Sauternes ou de Colheita Tardia, são ideais para equilibrar a doçura da bebida com o salgado do queijo.

MUSSARELA/MUÇARELA/MOZZARELA: Originalmente produzido a partir do leite de búfala, hoje, igualmente de vaca, a Mussarela é um queijo de massa macia, que provém da Itália Meridional. Graças à culinária italiana ganhou o mundo todo.

Acompanhamentos: pizzas de todos os tipos, recheios de massas, coberturas de gratinados, sanduíches e pastéis são alguns dos quitutes sugeridos. Cortado em cubinhos e temperado com azeite, é uma ótima opção para comer como petisco ou enriquecer canapés ou saladas.

FAÇA EM CASA

Pão Italianíssimo

Ingredientes:
– 8 pães italianos redondos pequenos (300 g)
– 1 maço de cebolinha (80 g)
– 1 peça de Queijo tipo Provolone Tirolez (300 g)
– 1 embalagem de Manteiga sem sal Tirolez (200 g)

Modo de Preparo:
Com uma faca de pão bem afiada, corte falsas fatias de 1 cm nos pães (sem separá-las, de modo que os pães continuem inteiros). Em seguida, corte novamente falsas fatias perpendiculares às fatias anteriores. Ao final desse processo, você deverá obter pães inteiros quadriculados por cima.

– Pique a cebolinha finamente e espalhe sobre os pães, entremeando os quadriculados.

– Com o auxílio de uma faca afiada, corte a peça de queijo ao meio para obter duas meia-luas. Em seguida, retire fatias bem finas (cerca de 0,2 cm).

– Coloque em cada vão dos pães 1 fatia de provolone com a casca virada para cima.

– Besunte os pães com metade da manteiga e leve ao forno preaquecido (180 °C) por 30 minutos, espalhando o resto da manteiga na metade do tempo.

– Sirva em seguida como entrada: vá “destacando” os cubinhos de pão enquanto come. Depois, quando não houver mais cubinhos, você pode quebrar a parte inferior com as mãos ou com o auxílio de talheres.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *