Coluna Pelo Estado – Gás Natural: SC quer maior fornecimento e menor custo

Foto Divulgação/SCGÁS

O governador Carlos Moisés (sem partido) e o presidente da SCGÁS, Willian Anderson Lehmkuhl, embarcaram para o Rio de Janeiro nesta sexta-feira, 13, numa missão especial: cumprir agenda na Petrobras, atual supridor de gás natural em Santa Catarina. Nesta segunda-feira, 16, eles terão reunião no Ministério de Minas e Energia (MME), em Brasília.  A agenda tem o objetivo de discutir com os órgãos possibilidades para a ampliação do suprimento no Estado, considerando a crescente demanda do mercado, principalmente o industrial, e as limitações atuais do Gasoduto de Transporte Bolívia-Brasil (Gasbol). Outro ponto que será discutido é a recente perda de competitividade das tarifas de Gás Natural catarinense em relação ao mercado de São Paulo, por exemplo, que compete especialmente com as indústrias do setor cerâmico. O Gás Natural comercializado pela Petrobras é mais barato para o mercado paulista, o que pode enfraquecer o setor cerâmico em Santa Catarina.

O contrato atual de suprimento com a Petrobras prevê a aquisição de 2,08 milhões de m³/dia de gás natural, com possibilidade de distribuição de mais 5% da quantidade contratada. O Gasbol, que abastece o Estado, atingiu seu limite de capacidade na zona dos pontos de entrega de Biguaçu até Nova Veneza na Região Sul catarinense. Essa limitação acontece devido à diminuição do diâmetro e porque a região consome grandes volumes de Gás Natural, puxado principalmente pelas indústrias do segmento cerâmico. Atualmente, o Gás Natural atende 324 indústrias em SC, responsáveis por 50% do PIB industrial do Estado. Até 2025, a SCGÁS projeta investir mais de R$ 457 milhões para construir 507 novos quilômetros de rede. Para não afetar o abastecimento, em especial do Sul catarinense, foi realizada uma Chamada Pública e contratado suprimento adicional de GNL (Gás Natural Liquefeito) vindo da Argentina.

Foto Bruno Collaço/Agência AL

EXPOSIÇÃO ANITA
Será aberta nesta segunda-feira, 16, a exposição 200 anos de Anita – A heroína de dois mundos, em homenagem ao bicentenário do nascimento de Anita Garibaldi. A exposição ficará aberta à visitação até o dia 30 de setembro na Galeria de Arte Ernesto Meyer Filho, no hall da Assembleia Legislativa. Nesta terça-feira, 17, às 14h, na Alesc, haverá uma cerimônia interna de abertura oficial da exposição com a presença de lideranças políticas e de institutos de preservação da história de um dos maiores personagens da história catarinense.

SALA DOS PREFEITOS
O presidente da Alesc, deputado Mauro De Nadal (MDB), efetiva uma das metas de sua gestão, que é a implantação da Sala dos Prefeitos junto ao Palácio Barriga Verde. Com inauguração marcada para o próximo dia 18 de agosto, a Sala dos Prefeitos é fruto de uma parceria entre Alesc e Fecam, e uma das metas de inovação da atual gestão da Alesc. “Por ter sido Prefeito em dois mandatos, entendo a importância deste local, um espaço dentro do Assembleia
Legislativa, onde os Prefeitos possam junto ao Parlamento discutir ideias, trocar experiências e desta vivência coletiva criarem  ações e projetos para o bem dos municípios e do povo de nosso Estado”, afirma o presidente Nadal.

TRANSPARÊNCIA
O governo do Estado prepara o lançamento de um site com todas as informações a respeito do caso dos respiradores e das ações que vêm sendo desenvolvidas pela Procuradoria-Geral e pela Controladoria para recuperar os R$ 19 milhões restantes do pagamento antecipado de R$ 33 milhões pela compra dos 200 respiradores que nunca foram entregues. Objetivo é dar
“total transparência” ao caso, informou uma fonte do Centro Administrativo. O site deve ser lançado na  próxima semana.

DÍVIDAS
O parcelamento de dívidas de empresas que ficaram fora do Programa Catarinense de Recuperação Fiscal de 2021 (Prefis) levou os deputados Dr. Vicente Caropreso (PSDB), Milton Hobus (PSD) e Zé Milton (PP) a se reunirem com o secretário da Fazenda Paulo Eli. A medida já em vigor permite apenas o refinanciamento de débitos com o fisco surgidos durante a pandemia. “O que se pretende é um Prefis mais amplo”, afirmou Dr. Vicente.  Conforme o parlamentar, o secretário foi sensível ao pleito.