Coluna Pelo Estado – Cenário do combate à Covid-19 melhora em SC, mas ainda exige atenção de todos

Foto Divulgação/PMF

A Prefeitura de Florianópolis anunciou nesta quinta-feira, 15, que a capital catarinense está há 11 dias sem registro de mortes pela Covid-19. Em Chapecó, já são 10 dias sem óbitos. Conforme os dados divulgados pelo governo estadual, até esta terça-feira, 13, dos 295 municípios, 151 não registraram mortes pela doença em julho. Soma-se a este cenário a menor
taxa de ocupação de leitos Covid-19 nos últimos meses, de acordo com a atualização da secretaria da Saúde, publicada nesta quinta-feira, 15. Pelos números oficiais, a taxa estava em 79,58%, sendo 216 leitos disponíveis dos 1.058 ativos. Desde fevereiro, a pasta não registrava uma taxa de ocupação menor que 80% nestes leitos.

Para o secretário da Saúde, André Motta Ribeiro, esses números auspiciosos são resultados de inúmeras ações feitas pelo governo do Estado desde março de 2020, com medidas que permitem enxergar uma luz no fim do túnel. Mas nada que autorize a população sair comemorando como se a guerra contra a pandemia estivesse vencida. Para Motta Ribeiro, o cenário favorece pensamentos mais otimistas, ao mesmo tempo que exige a manutenção de cuidados básicos de higienização e distanciamento por parte de todos. Até porque, como destaca, a média de mortos é de 30 por dia, uma taxa ainda elevada.

O secretário da Saúde aponta que o ritmo de vacinação contribui em muito para a queda dos números e para acelerar ainda mais houve um remanejamento de 125 mil doses da vacina AstraZeneca/Fiocruz, que estavam armazenadas na Rede de Frio Estadual. Assim que o Ministério da Saúde entregar novas doses, essas serão reservadas à aplicação da segunda dose (D2). Santa Catarina já aplicou ao menos 1 dose em  mais de 4,2 milhões de pessoas, mais de 50% do público vacinavel, que são os adultos acima de 18 anos.

Foto Arquivo/Secom

CIRURGIAS ELETIVAS

O secretário da Saúde, André Motta Ribeiro, lançou um desafio ousado para destravar as cirurgias eletivas, represadas desde o início da pandemia. Em Santa Catarina, são cerca de 85 mil pessoas esperando por procedimentos que não puderam ser realizados em função do avanço do coronavírus. A ideia é, a partir de 1º de outubro, se o cenário sanitário permitir, em seis meses diminuir a fila e recuperar o tempo perdido, imposto pela Covid-19. Motta Ribeiro está confiante e acredita que a rede hospitalar do estado tem capacidade de bater esta meta.

InovaGov SC

Marco histórico para os poderes e instituições de Santa Catarina e um exemplo para o país. Assim foi avaliado o lançamento oficial da InovaGovSC, a rede de inovação do setor público, realizado nesta quinta-feira, 15, em reunião virtual, com a assinatura de um acordo de cooperação técnica entre Governo do Estado, TJSC, Alesc, TCE e MPSC, que se unem com o objetivo de gerar novas ideias, trocar experiências e promover ações transformadoras na gestão pública para melhorar o serviço prestado aos cidadãos catarinenses. A ideia é promover e apoiar a execução de projetos e práticas colaborativas
até mesmo em ambiente offline, que vão conferir maior eficiência, eficácia e efetividade à gestão pública e à prestação de serviços aos cidadãos.

EDUCAÇÃO

A Secretaria de Estado de Educação (SED) iniciou a reestruturação do setor responsável pela manutenção da infraestrutura das escolas da rede pública estadual, com o objetivo de agilizar as obras nas unidades de ensino. A proposta foi exposta na reunião da Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa. Conforme o secretário, o percentual de escolas interditadas é considerável. Ele estima que 10% da rede de 1.064 unidades enfrentam esse problema.

PESCADOS

A Comissão da Pesca e Aquicultura da Assembleia Legislativa de SC (Alesc) aprovou Projeto de Lei, de autoria do deputado João Amin (PP), que visa permitir que restaurantes e estabelecimentos congêneres possam adquirir pescados frescos diretamente dos pescadores artesanais e aquicultores. “A iniciativa vai agregar valor aos produtos e melhorar a renda destes
profissionais tão importantes para Santa Catarina, além de ser de expressiva importância para a tradição cultural do setor pesqueiro”, argumentou o parlamentar.