Cincatarina integra Câmara Técnica de Transformação Digital Municipal

Foto Divulgação

Primeiro encontro do Grupo de Transformação Digital voltado para o setor público.

O Consórcio Interfederativo Santa Catarina (Cincatarina) participou, nesta segunda-feira (5), de reunião virtual da Câmara Técnica de Transformação Digital Municipal (GTDM). A participação se deu através do diretor executivo, Elói Rönnau. A iniciativa é do Consórcio de Informática na Gestão Pública Municipal (CIGA).

A proposta do Grupo de Trabalho é estabelecer um local para debater soluções inovadoras, ações de capacitação e treinamento, propor diretrizes e mecanismos de difusão de projetos que tenham como objetivo implementar ações de transformação digital no setor público.

Durante o encontro, o secretário nacional de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro, que está à frente das iniciativas em âmbito federal de integração do sistema GOV.BR com as soluções tecnológicas do CIGA, esteve palestrando. Integram a Câmara Técnica cerca de vinte profissionais representando municípios, associações de municípios, universidade, Tribunal de Contas e Governo do Estado.

O que é Transformação Digital

A Transformação Digital tem como foco oferecer serviços públicos de qualidade, com menos gasto de tempo e dinheiro por parte do cidadão, trabalhando no universo digital e online. Um exemplo aplicado pelo Governo Federal é a Carteira de Trabalho Digital, onde o cidadão não precisa mais esperar 17 dias para adquirir o documento. Agora, ele pode fazer online no mesmo dia e acompanhar pelo aplicativo a sua vida laboral, como acessar contratos de trabalho, solicitar Seguro-Desemprego, consultar requerimentos e Abono Salarial.

Segundo o secretário nacional, Luis Felipe Monteiro, o potencial da transformação digital no setor público é enorme. “Com a automação de serviços, o país reduzirá substancialmente as suas despesas anuais. Mas, além disso, quando entregamos um serviço digital, que antes era presencial e carregado de burocracia, também nos transformamos. Isso porque tornamos a vida do cidadão mais fácil, monitoramos melhor a oferta desses serviços e suas melhorias, e tornamos mais direta e transparente a relação do Estado com os brasileiros” destacou.