Transmissão da Covid-19 é elevada em Joaçaba e feriado pode agravar a situação

Apesar das restrições impostas pelo Decreto Estadual para combater o avanço da Covid-19 em Santa Catarina, parte da população ainda insiste em não usar máscaras nas ruas de Joaçaba.

Taxa é 1,05, o que significa que cada 100 infectados contaminam 105 pessoas. Os últimos registros apontam 138 joaçabenses como positivados, 510 estão sendo monitorados e 14% da população já teve o vírus. Secretaria de Saúde acende alerta para o feriadão e pede adesão às regras de combate.

 

Rodrigo Leitão
jornalismo@raizesdiario.com.br

O momento da pandemia do novo coronavírus ou Covid-19 ainda é grave em Joaçaba. Todos os leitos de UTI e enfermaria do Hospital Universitário Santa Teresinha estão ocupados. Na enfermaria, existem 30% de pacientes a mais que a capacidade física. A Secretaria de Saúde do Município acende alerta para o feriadão e pede adesão às regras de combate.

No Brasil, a taxa de transmissão (Tr) está acima do recomendável e na casa de 1,12, com cada 100 infectados transmitindo a doença para outros 112. Em Joaçaba, essa situação não é muito diferente. Aqui, cada 100 contaminados com o vírus podem infectar outros 105. Ou seja, assim como o Brasil, estamos muito acima da média recomendada pela OMS e demais organismos internacionais de combate à doença.

Nesta terça-feira, dia 30 de março, o país contabilizou 12.664.058 casos e 317.936 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia. Somente neste mês de março são 62,9 mil mortes, quase duas vezes mais do que o total de julho de 2020, o segundo período com mais óbitos. Nesta quarta-feira, o Brasil bateu um novo recorde com 3.869 mortes por covid em 24 horas.

De acordo com o Imperial College, de Londres, que calcula mundialmente a periculosidade do novo coronavírus, a taxa ideal para manter a pandemia sob controle é de 0,75% e a margem tolerável é de 0,86%, para manter toda a economia e a sociedade em funcionamento.

A taxa de transmissão da covid-19 é um cálculo que nos diz o quanto a doença tem se espalhado entre as pessoas. Normalmente, o número calculado é uma estimativa retrospectiva (análise com dados do passado).

A taxa de contágio do Brasil no dia 28 de setembro de 2020 foi estimada em 0,998. Esse índice, comparado com o divulgado nesta terça-feira, dia 30 de março, revela que o contágio da covid-19 no país cresceu 23%.

Secretário pede adesão ao isolamento social

O secretário de Saúde de Joaçaba, Valmor Reisdorfer, disse ao Raízes Diário que todas as tentativas de frear o avanço do vírus no município estão sendo tomadas. “Infelizmente, muitas pessoas estão indo para o hospital e não avisam o contágio”. Segundo ele, o Centro de Triagem já começou a dar resultado, porque a procura está diminuindo.

“Usar a máscara e fazer isolamento social é primordial neste momento”, alerta Valmor Reisdorfer. “Estamos pedindo às pessoas que evitem contato com quem apresentou sintomas”, completa.

O secretário informa que foi montada  uma estrutura com médico para atender pela tele medicina. “Para quem não tem condições de chegar ao centro de triagem também estamos enviando um médico na residência. Todos esses cuidados são para tentar reduzir o contágio e o aumento do fluxo da doença”, explicou a autoridade sanitária de Joaçaba.

De acordo com os números divulgados pela Secretaria de Saúde do município, entre a primeira semana de atendimento em fevereiro e esta terça-feira, dia 30 de março, o número de casos positivos de covid, em Joaçaba, caiu sensivelmente (veja tabela abaixo).

REGISTRO DE CASOS DE COVID-19 EM JOAÇABA ESTE ANO

De 22/02 A 28/02 : 277 casos

De 01/03 A 07/03 : 340 casos

De 08/03 A 14/03 : 252 casos

De 14/03 A 18/03 : 142 casos

De 19-03 a 28-03 : 145 casos

Câmara cobra maior fiscalização nas ruas

Mesmo com os cuidados adotados pela prefeitura de Joaçaba e a vacinação em massa de idosos no município, além do atendimento no Hust, parte da população de Joaçaba não segue as recomendações para evitar o contágio. Num giro de 30 minutos realizado pela reportagem do Raízes Diário por alguns bairros da cidade e na Av. XV de Novembro, verificou-se que ao menos 20% (2 a cada 10 contados) dos transeuntes não usavam máscaras. Ou as penduravam na orelha ou baixavam para o queixo, com a desculpa de que precisavam falar ao celular, comer ou fumar.

Questionado sobre a posição dos vereadores sobre a teimosia de uma minoria em contrariar as regras e expor os cidadãos ao contágio, o presidente da Câmara de Vereadores do Minicípio, Diego Bairros, disse ao Raizes Diário que é preciso seguido o Decreto Estadual. “Esse decreto precisa ser cumprido pelo governo do Estado, fiscalizado pelos agentes competentes de Saúde e a Polícia Militar é obrigada a fiscalizar, além das vigilâncias que são de competência do município”.

De acordo com o vereador, é preciso fazer a cobrança para que essas vigilâncias e a PM façam a fiscalização, principalmente nos estabelecimentos. “A polícia tem de fazer a fiscalização em relação às máscaras, conforme os decretos têm preconizado”, cobra Diego Bairros.

O presidente da Câmara Municipal explica que as pessoas precisam tomar os cuidados, “mas obviamente falta conscientização da população”, ressalta o parlamentar local. O decreto mais recente do governo de SC estabelece multa de R$ 500 para quem for pego circulando pelas ruas sem máscaras.

“Mas entrou num modo automático em que a fiscalização acontece de forma branda e as pessoas não se sentem cobradas”, constata o vereador.

PM fez 16 autuações nos últimos dias

Andando pelas ruas do centro de Joaçaba é comum ver pessoas sem máscaras circulando naturalmente. “Cabe ao bom senso de cada um”, explica o comandante da Polícia Militar na região, Tenente Garcez. Ele afirma que o decreto estadual prevê punição apenas para os casos flagrados em ambiente fechado.

De acordo com a PM, na rua, as pessoas que não usam máscaras são abordadas e repreendidas, mas é um aviso e não pode ser feito. O Tenente Garcez conta que todos os surpreendidos pela Polícia Militar traziam consigo uma máscara. Ele avalia a atitude como “relapsa” já que o dever é evitar o contágio. “Esse tipo de indivíduo não dá importância a si próprio ou a terceiros”, lamenta o militar.

Festas, reuniões em residências e condomínios, bares, restaurante e lojas foram alvos, do último fim de semana para cá, de várias operações de repressão à propagação da Covid-19. Na região do 26º Batalhão de Polícia Militar, comandado pelo Tenente Garcez e que envolve 19 municípios, foram registradas 16 ocorrências neste sentido.

Segundo o Tenente Garcez, Joaçaba, Herval D’Oeste, Ouro, Capinzal e Campos Novos são as cidades mais problemáticas quanto ao combate à covid-19. A multa de R$ 500 estabelecida no Decreto Estadual, segundo ele, é aplicada à pessoa, ao infrator e não aos espaços acolhedores. “Lavramos a notificação da mesma forma que fazermos com os carros, que identificamos pelas placas, mas nesse caso o registro é feito no CPF da pessoa”, informa o militar. A multa é encaminhada à Vigilância Sanitária estadual, que dá prosseguimento à aplicação e cobrança.