Polícia Civil de SC fará “lockdown” na segunda-feira

Medida é simbólica e visa chamar atenção do governo federal para um serviço essencial que está sendo menosprezado no combate ao coronavírus

Rodrigo Leitão
A Polícia Civil de Santa Catarina vai parar na próxima segunda-feira, seguindo um movimento nacional das polícias estaduais, em ato simbólico, para atrair a atenção do Governo Federal ao serviço essencial prestado em todo o país pela corporação. “O movimento tem por objetivo demonstrar que a Polícia Civil não parou em momento algum durante a pandemia, e não vem sendo reconhecida pelo Governo Federal”, adiantou ao RD o coordenador Delegado Rodrigo Bortolini, presidente da ADEPOL SC e Delegado da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos da DEIC.

Segundo ele, a Polícia Civil realiza um serviço essencial, no entanto não foi classificada neste segmento de trabalhadores. Bertolini também observou que não houve quaisquer sinalizações sobre vacinação para os policiais civis de Santa Catarina. “Segundo as políticas do Governo Federal, as quais devem ser seguidas pelos estados, ainda não houve autorização”, disse o delegado.

Rodrigo Bortolini informou que Santa Catarina conta com 3.200 policiais civis. De acordo com os custos de vacinação divulgados pelo próprio Ministério da Saúde, o custo para imunizar todo esse contingente seria de aproximadamente R$ 640 mil, muito baixo se comparado à necessidade que a população tem de receber esse serviço de segurança pública.