Atleta formada na Ajov integra maior clube poliesportivo da América Latina

Foto Divulgação

A atleta Maria Eduarda David, natural de Joaçaba e formada nas categorias de base da Associação Joaçabense de Voleibol (Ajov), foi selecionada para a equipe Sub-19 do Esporte Clube Pinheiros, de São Paulo (SP). A pré-temporada iniciou nesta segunda-feira (1º), sob o comando dos experientes técnicos Reinaldo Bacilieri e Inácio Rodart da Silva Júnior.

Maria Eduarda passou por duas seletivas, uma delas online. O teste presencial foi realizado no mês de dezembro e a aprovação foi divulgada no mesmo dia. Antes da assinatura do contrato, ela ainda será submetida a exames médicos. “Estou muito feliz, é a realização de um sonho”, ressalta a líbero, lembrando que o Pinheiros disputa o Campeonato Paulista, um dos mais tradicionais do país. “Só tenho a agradecer a todos os que contribuíram para mais essa conquista, em especial a Ajov”.

Maria Eduarda tem 16 anos e joga vôlei desde os sete. Começou no núcleo do Colégio Santíssima Trindade e com oito anos ingressou na Ajov, onde participou do projeto social “Bom de Bola, Bom de Escola” e permaneceu até 2019. A formação foi realizada pelos técnicos César Junqueira e João Luchese.

Em 2020, ela foi convocada pela Federação Catarinense de Voleibol para o Campeonato Brasileiro de Seleções Sub-18, em Saquarema (RJ). Em 2019, também defendeu Santa Catarina no Campeonato Brasileiro de Seleções Sub-16. Nas duas competições, foi campeã invicta.


Para a presidente Soili Marilei Natus, a trajetória de Maria Eduarda é
o reconhecimento do trabalho realizado pela associação. “Assim como outras atletas reveladas pela Ajov, ela leva o nome de Joaçaba e do estado para todo o Brasil. É motivo de orgulho e incentivo para as meninas que também buscam essa oportunidade”.

 

SAIBA MAIS


Fundado em 1899, o Pinheiros é o maior clube poliesportivo da América Latina. Já defenderam as cores pinheirenses campeões olímpicos como Giba, Rodrigão, Fernanda Garay e Dani Lins. A equipe feminina adulta é a única a participar de todas as edições da Superliga de Vôlei, competição mais importante do país. Já as tradicionais categorias de base garantem o futuro da modalidade.


(Fonte Mayelle Hall/Assessoria de Comunicação)