APAS completa 38 anos

Foto Divulgação

APAS tem atividades específicas para oferecer autonomia aos alunos durante o ensino a distância. Em 2020, o projeto de ensino ano teve como tema “Literatura e aprendizagem no contexto da cidade de Joaçaba”, com o objetivo de promover a interação entre as diversas áreas do conhecimento, dando ênfase aos aspectos da vida cidadã. A APAS começa 2021 completando 38 anos.

Nesta quarta-feira, dia 6 de janeiro, a Associação de Pais e Amigos dos Surdos (APAS) comemora 38 anos de atuação na cidade de Joaçaba. A função da APAS é atuar na defesa e na garantia de direitos dos seus usuários surdos, oportunizando a interação social para construção do conhecimento desenvolvendo a autonomia por meio da aprendizagem, da língua brasileira de sinais – Libras como língua materna L1 e português escrito como segunda língua L2. Além de atuar e prestar serviços à sociedade de forma geral visando a proteção, prevenção e combate a surdez e deficiência auditiva oferecendo a toda comunidade de forma gratuita os atendimentos de audiometrias e teste da orelhinha para recém-nascidos.

Foto Divulgação

A Associação tem sua diretoria executiva formada pela presidente Maria Carmosina Rothbarth e vice Lucia Helena C. Galli; tesoureira Lourdes Carvalho e secretária Tatiana B. D. Comin que realizam trabalho voluntário em benefício da manutenção dos serviços e atendimentos da APAS.

Na área pedagógica a instituição conta com a diretora Sonia Molin que também atua em sala de aula, com o professor de Libras Luiz Fernando Conrado e com a professora bilíngue Luciana da Silva. Nos serviços de audiometria e teste da orelhinha a APAS conta com a fonoaudióloga Carla Andrea Madeira Ferraz.

A diretora da APAS Sonia Molin conta que durante o ano de 2020, devido ao isolamento social, foram necessárias adaptações para ao projeto pedagógico estabelecido no início do ano. “As intervenções estiveram de acordo com o planejamento anual da entidade e levou em consideração as especificidades de cada educando. O projeto de ensino ano teve como título ‘Literatura e aprendizagem no contexto da cidade de Joaçaba’”.

Foto Divulgação

O objetivo do projeto desenvolvido foi promover a interação entre as diversas áreas do conhecimento, dando ênfase aos aspectos da vida cidadã, valorizando o município como elemento constituinte da identidade de cada cidadão, oportunizando a partir do tema proposto, a aquisição e o desenvolvimento da Língua de Sinais – L1, e do Português escrito – L2 como segunda língua, bem como uma educação inclusiva que atenda e considere toda a diversidade de usuários e suas particularidades.

Dentro do tema proposto para esse período, Sonia explica que “foram elaboradas atividades específicas para que os alunos pudessem realizar com autonomia, pois infelizmente as famílias não se comunicam com os filhos ou se comunicam de forma muito básica e superficial não conseguindo participar desse processo educativo por não “falarem” a mesma língua. Diante desse contexto várias atividades com estratégias diferenciadas que praticamos em sala de aula, nesse momento não é possível fazer, o que nos limita um pouco no que realmente desejaríamos para que se efetivasse uma aprendizagem dos conteúdos abordados”.

As atividades pedagógicas impressas e vídeos de estudos para ensino do português como segunda língua- L2, estão disponíveis na página do Facebook na entidade.

Segundo a diretora da APAS Sonia Molin, o resultado desse trabalho beneficiou diretamente a todos os envolvidos no processo de ensino e aprendizagem, para aquisição e desenvolvimento de forma contextualizada da Língua de Sinais – L1, e do Português escrito – L2, como segunda língua da Pessoa Surda ou com deficiência auditiva. Além de contribuir com estratégias que poderão ser utilizadas e retomadas para que outros profissionais busquem uma forma mais comprometida e adequada de aprendizagem com uma ferramenta de interação e ensino eficaz.

Nas imagens, alguns registros da entrega de uma lembrança aos alunos no dia da gravação da mensagem de Natal.

(Fonte APAS)