Coluna Pelo Estado – Segundo Tribunal de Julgamento

O Tribunal de Justiça sorteou os cinco desembargadores que vão compor o novo Tribunal Especial de Julgamento no segundo pedido de impeachment contra o governador Carlos Moisés (PSL). Luiz Zanelato, Sônia Maria Schmitz, Rosane Portella Wolff, Luiz Antônio Zanini Fornerolli e Roberto Lucas Pacheco, por ordem de sorteio, são os magistrados que vão compor a nova comissão que terá poder para decidir se houve ou não crime de responsabilidade na compra dos 200 respiradores da China e na contratação do hospital de campanha.

Pelo menos cinco desembargadores sorteados pediram a suspensão de participar do Tribunal alegando questões de foro íntimo.

A sessão de julgamento do primeiro impeachment, na semana passada, foi marcada pela divergência entre procuradores e deputados, com exceção do desembargador Luiz Felipe Siegert Schuch, único entre os magistrados a entender que a denúncia não precisa ter os requisitos rigorosos de uma ação judicial.

Essa divisão ficou ainda mais acirrada após a reportagem da NSC divulgar imagens captadas na votação de deputados criticando o posicionamento dos desembargadores. Em uma dessas mensagens, o deputado Kennedy Nunes (PSD), relator do processo, chama os desembargadores de “máfia de toga”. Talvez, isso explique, em parte, uma maior resistência dos desembargadores que desistiram de participar do julgamento. No sorteio do primeiro, apenas um desembargador pediu para suspender a nomeação, pelo mesmo motivo de foro íntimo.

Dormiu
A sessão histórica do julgamento do relatório do impeachment, que começou na manhã de sexta-feira, 23, e só terminou na madrugada de sábado, 24, desafiou a resistência física de quem acompanhou. Foram 17 horas e quem esteve na Alesc, ou até mesmo quem acompanhou de casa, em algum momento deve ter cochilado também, como ocorreu com o deputado Maurício Eskudlark (PL).

Tempo
A governadora interina Daniela Reinehr (sem partido) convocou coletiva para falar sobre o que os catarinenses podem esperar de seu governo. Daniela é muito mais alinhada ao bolsonarismo que Moisés, mas com rusgas a aparar entre seus correligionários do mesmo clube. E é o Diário Oficial dos próximos dias que vai dar o tom da sua gestão. A expectativa está nas mudanças do primeiro escalão, que definem o direcionamento das políticas, mas não podemos esquecer que são nos escalões debaixo que acontecem a maior parte das trocas de favores. É ver pra crer.

Pardal
O aplicativo Pardal registrou até o momento 2.788 denúncias de propaganda eleitoral irregular ou ilegal em Santa Catarina. As três principais irregularidades acusadas pelos cidadãos catarinenses envolvem a utilização de placas, carros plotados e carros de som.

Colégio Militar
A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) comunica que estão abertas as inscrições para processo seletivo de alunos nos Colégios Policiais Militares Feliciano Nunes Pires, nas unidades de Florianópolis, Lages, Blumenau, Joinville e Laguna, para o ano letivo de 2021. O processo se destina ao preenchimento de 300 vagas para o 6° ano, sendo 60 vagas para cada município. As vagas serão destinadas com o percentual de 50% para dependentes de Militares estaduais e 50% para o público em geral.

Fidelidade Radical
O deputado Jessé Lopes (PSL), seguidor incondicional do presidente Bolsonaro, já tem pleitos para a governadora Daniela. Lopes quer logo de cara a prova real de que Daniela está com Bolsonaro até debaixo d’água e lançou um desafio para isso: que Daniela “rasgue os decretos relacionados à pandemia”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *