Coluna Pelo Estado – O vídeo, o celular e a batalha

O ministro Celso de Melo do STF trabalhou madrugada a dentro na decisão sobre o sigilo do vídeo da reunião ministerial entre Jair Bolsonaro, o ex-juiz Sérgio Moro e ministros. Os relatos que antecediam a divulgação das imagens davam conta de um show de horrores, com pedidos de prisão de ministros, de governadores, interferência descarada na PF e por aí vai.

Às 17h a notícia se confirmou e os vídeos começaram a ganhar as telas. Eivado da sua autoridade, Bolsonaro não economiza críticas a governadores e posturas. Cobra diretamente de Sérgio Moro que arme a população e cobra as mudanças na Polícia Federal.

No meio da tarde de sexta-feira, 22, antes da liberação do vídeo, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, engrossou o tom, e em carta aberta criticou que os desdobramentos do inquérito que apura suposta interferência do presidente na Polícia Federal pudesse culminar na apreensão do celular do presidente. O general falou em “consequências imprevisíveis” e “tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes”.

O recado soou mais ou menos como, “se for pra cair que caia atirando”, e foi mais ou menos assim que a coisa se espalhou pela internet e nos grupos de whatsapp. A nota de Heleno foi interpretada como sinal de desespero do governo por um ministro do STF ouvido pela Folha de S. Paulo.

“Eu tenho poder e vou interferir nos ministérios”, disse Bolsonaro. Abraham Weintraub chamou ministros de vagabundos e disse que deveriam ir todos para cadeia.”

Plataforma – O governo do Estado apresentou, em webconferência com a FECAM uma nova ferramenta em que os municípios terão acesso para balizar as ações regionalizadas de combate à Covid-19. A ferramenta vai apresentar dados oficiais, atualizados e monitorados em tempo real. Na próxima semana, os indicadores e a forma de utilização da ferramenta serão debatidos com os municípios para que as operações tenham início a partir de junho.

Aulas presenciais O ministro da Educação,  Abraham Weintraub, defendeu o retorno das aulas presenciais nos locais menos afetados pela pandemia durante encontro do Fórum Parlamentar Catarinense,  O objetivo da reunião foi debater saídas para a crise após a suspensão das atividades, causada pela pandemia, presenciais nos locais menos afetados pela pandemia.

Transparência – Santa Catarina subiu mais posições e agora é o quinto estado a melhor pontuação do Brasil em relação à transparência nas ações de enfrentamento ao coronavírus. Segundo o ranking da Open Knowledge Foundation – Brasil (OKBR), o estado tem 88 pontos. CE, GO e MG lideram com 100 pontos.

“Só vamos conseguir  superar essa crise se estivermos unidos,  buscando a solução para os problemas”. Júlio Garcia (PSD),  no Fórum Parlamentar Catarinense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *