Diplomados de Ciências Biológicas lançam livro com registros de mais de 400 espécies de borboletas

A formação acadêmica oferecida na Unoesc incentiva que seus diplomados vão além da conquista do diploma e foi isso que aconteceu com os biólogos Elton Orlandin e Mônica Piovesan que se formaram no curso de Ciências Biológicas da Unoesc Joaçaba. Com a co-autoria do professor Eduardo Carneiro, que atua na Universidade Federal do Paraná, eles publicaram o Livro “Borboletas do Meio-Oeste de Santa Catarina: História Natural e Guia de Identificação”, uma obra de 400 páginas e mais de 2000 imagens de larvas e adultos, de mais de 400 espécies.

O livro está disponível na forma de E-book para download gratuito neste link.

Já a aquisição do livro impresso pode ser feita no site.

As primeiras pesquisas que deram origem ao livro surgiram durante o trabalho de conclusão de curso de Elton, que por sua vez, realizou um inventário/avaliação ecológica de borboletas em fragmentos florestais localizados em Joaçaba. O material rendeu um artigo e continuou sendo fonte de inspiração para o diplomado, que se tornou mestre e agora cursa doutorado em Zoologia.

Elton conta que começou a registrar as espécies de borboletas por volta do ano de 2015, mas de forma mais intensa foi fotografando e criando as espécies a partir de 2016, quando iniciou o Trabalho de Conclusão de Curso.

Ao longo do caminho algumas dificuldades financeiras para custear a pesquisa foram aparecendo, no entanto, ele persistiu.

“O inventário foi realizado em Joaçaba, um dos fragmentos de mata trata-se do Parque Natural Municipal do Vale do Rio do Peixe, local que mostrou abrigar uma grande riqueza de espécies. As imagens dos adultos vivos na natureza, também foram feitas nestes locais. Já algumas imagens de lagartas eu fiz em Curitiba. Há também algumas imagens de lagartas que me foram cedidas por colegas aqui da UFPR. Mas todas as espécies têm ocorrência registrada para Joaçaba”, explicou  Elton.

Para Santa Catarina, esse é o trabalho publicado com maior número de espécies amostradas. De acordo com Elton, apesar de existirem muitos estudos com borboletas, a região não possuía estudos publicados que tivessem amostrado uma riqueza tão grande de espécies, o que demonstra que a obra traz contribuições importantes tanto para à área das Ciências Biológicas, como a população leiga.

“Esse inventário fecha uma lacuna de conhecimento a respeito da distribuição das espécies de borboletas na Floresta Atlântica. Para a
população como um todo, penso que o livro, por ser gratuito, e apresentar grande quantidade de imagens, além de informações sobre hábitos de lagartas e de adultos, poderá fazer com que mais pessoas se interessem pelas borboletas e consequentemente pela conservação do habitat que esses organismos necessitam para sobreviver”, ressaltou.

Fonte Assessoria de Imprensa