Bancada do PP de Herval d´Oeste solicita manutenção dos ACTs e estagiários

Foto Agência Brasil

Herval d’ Oeste – Aprovado por unanimidade na sessão via audioconferência realizada nesta segunda-feira (4), o Requerimento nº 049/2020, de autoria dos vereadores da Bancada do PP: o presidente do Poder Legislativo hervalense, Sérgio Moacir do Nascimento (Serginho), Valdenir Rodrigues (Boca) e Dhiego Costa, que solicita o encaminhamento de ofício ao Poder Executivo Municipal, para que determine as Secretarias de Educação, Cultura e Esportes e de Administração e Planejamento mantenham o contrato dos professores ACTs e estagiários até a data final prevista.

Sérgio destaca que “devido à pandemia de Covid-19, as aulas foram suspensas no nosso município. Temos em Herval d’Oeste vários ACT’s e estagiários, profissionais da rede municipal de ensino admitidos em caráter temporário. Fomos procurados por estes profissionais que temem perder seus empregos em função da contenção de despesas que a Prefeitura está adotando, isso não pode acontecer, são excelentes profissionais e tem suas famílias para manter”. Sérgio destaca que estes profissionais, de forma intercalada, para evitar aglomeração, estão indo as escolas e passando as matérias aos alunos por aplicativo como o facebook e a secretária de Educação nos informou que o município dispõe de um aplicativo aonde ficam registadas todas estas atividades.

O vereador Dhiego Costa ressaltou que a manutenção dos contratos dos professores ACTs e estagiários até o final do respectivo contrato auxiliará na qualidade da educação, uma vez que garantirá a continuidade do ano letivo com o mesmo quadro docente, assim que as aulas forem retomadas. “Destaco também que após o fim do contrato estes profissionais sejam mantidos, pois desempenham excelente trabalho. Em contato com a secretária de Educação ela me garantiu que nenhum ACT ou estagiário será demitido”.

Valdenir Rodrigues disse que a economia de todo Brasil está passando por problemas. “Evitando o desemprego, os salários são injetados na economia local, medida semelhante já foi adotada pelo governo estadual, que sancionou lei que proíbe a demissão de ACTs no âmbito da rede estadual de ensino”.