Campeão mundial pelo Grêmio, Valdir Espinosa morre aos 72 anos

Foto Reprodução TV Brasil

Valdir Espinosa faleceu nesta quinta-feira (27) pela manhã aos 72 anos. Ele passou por duas cirurgias na semana passada (nos dias 17 e 20 de fevereiro) e morreu após complicações. A morte foi comunicada pelo Hospital Quali Ipanema, onde o ex-treinador e dirigente esportivo estava internado. Segundo a nota, Valdir “faleceu no início da manhã de hoje (quinta-feira) por volta das 6 horas da manhã por colapso cardiovascular resultante de pós-operatório complicado e infecção generalizada”. O velório será nesta quinta-feira, das 15 às 22 horas, no Salão Nobre de General Severiano.

Desde o fim do ano passado, Valdir era gerente de futebol do Botafogo, clube que, quando técnico, ajudou a tirar de uma fila de 21 anos sem títulos com a conquista do Campeonato Carioca de 1989.

“Muito querido no clube por torcedores e por quem conviveu com ele no dia a dia, Espinosa vai fazer muita falta. Sua liderança, exemplo e ensinamentos seguirão no Botafogo como legado dessa figura tão representativa na história do clube”, diz a nota de pesar divulgada pelo Alvinegro carioca.

As maiores conquistas da carreira de Valdir, porém, vieram no Grêmio. Em 1983, liderou o Tricolor aos títulos da Libertadores e Mundial, tendo como protagonista Renato Gaúcho, com quem voltaria a trabalhar no próprio clube em 2016, como coordenador técnico – Renato era o treinador. Juntos, conquistaram a Copa do Brasil daquele ano.

O Grêmio também manifestou pesar pela morte de Valdir, “um dos maiores técnicos de sua história” em nota oficial: “Sob o comando de Espinosa o Grêmio abriu as portas do continente e do mundo ao Rio Grande do Sul, conquistando a Copa Libertadores da América e o Mundial de Clubes em 1983. O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense se solidariza com toda a família Espinosa, amigos e torcida nesse momento de dor”.

Valdir Atahualpa Ramirez Espinosa nasceu em 17 de outubro de 1947 em Porto Alegre. Iniciou a carreira como atleta, que durou oito temporadas, justamente no Grêmio, passando também por CSA, Esportivo e Vitória. Como técnico, além do Tricolor Gaúcho e do Botafogo, trabalhou também em Portuguesa, Athletico-PR, Vasco, Fluminense e Santa Cruz, entre outros, além de times de Japão, Paraguai e Estados Unidos.

No ano passado, ele participou do quadro “Os Setentões”, do programa No Mundo da Bola, da TV Brasil, e contou detalhes da carreira ao jornalista Sérgio du Bocage.

Fonte Agência Brasil/TV Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *