Metade dos brasileiros prefere carne de porco

Rodrigo Leitão
jornalismo@raizesdiario.com.br

Pesquisa da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos revela que 49% dos brasileiros preferem a carnbe de porco que outras proteínas animais. Metade da população considera a carne suína mais saborosa. E o Brasil é o quarto maior produtor e exportador mundial de suínos. Mas isso não se reflete no consumo interno.

Apesar dessa preferência, o brasileiro come apenas 14,5 kg de carne de porco por ano. É menos da metade do consumo de carne bovina, que é de 37 kg por brasileiro, ao ano. Na Europa, o consumo médio de carne de porco chega a 42 kg por habitante. Quem mais consome carne de porco no mundo é o asiático. Hong Kong bateu o recorde mundial de consumo per capta no ano passado, 69 kg por habitante.

A carne suína é a proteína animal mais consumida no mundo, 39% do total de carne entre frango, peixe, boi, caça e outras aves. Muita gente evita, argumentando ser uma carne muito gordurosa. Mas isso depende do corte. Todo mundo fala que em dieta você deve comer carne branca, preferir peixe e frango. O peixe, realmente, é menos calórico e praticamente não tem gordura. Mas, o frango?

Se você comparar os dados nutricionais de um peito de frango com um lombo de porco, os dois sem pele, você vai levar um susto? O peito de frango possui 72 mg de colesterol. A mesma quantidade de lombo suíno tem 49 mg. E a carne de porco é muito saborosa e tem tudo a ver com a nossa cultura. O lombo de porco é considerado carne branca, por isso a melhor harmonização com vinho é o chardonnay!

O brasileiro, assim como o europeu, comia muita carne de porco. Depois da industrialização, no início do século 19, e da quebra das lavouras de café, quando os fazendeiros passaram a investir mais no gado de corte, é que a carne de boi se popularizou no Brasil. Um contraste em relação ao prato tipicamente nacional e mais festejado pelos brasileiros: a feijoada, feita só de carne de porco.

Mas parte da tradição permaneceu nos pratos de Natal e Ano Novo, à base de carne de porco. Nossa tradição era essa. Hoje, os produtores de carne suína estão querendo resgatar isso.

Harmonização melhor com vinho branco
Experimentei um Boscato Chardonnay Reserva 2010  e achei primoroso. Ficaria ótimo com um lombinho à Califórnia. Dificilmente encontramos na produção brasileira um Chardonnay tão equilibrado. A acidez corretíssima possibilita um frescor tipicamente tropical. Passa por madeira, deixando a manteiga mais forte, mas sem exagero. Os primeiros aromas são de abacaxi e banana, depois o pêssego. É uma bebida persistente e muito refrescante. Custa, em média, R$ 55.

Mas outros vinhos casam muito bem com carne de porco: Pinot Noir, Touriga Nacional, Merlot sem madeira, vinhos rosés do Rhône, vinhos alemães da uva Dornfeld (a uva tinta alemã de maior sucesso!) e Chardonnay. O Chardonnay com o lombo! Se bem que o lombo também pode ser acompanhado pela Pinot e até um Beaujolais. A picanha de porco, alcatra de porco, o prime rib e até filé mignon eu tomaria com os tintos.

FAÇA EM CASA

Filé-mignon suíno com batata-doce e alecrim na pressão
(Serve 4 pessoas. Fica pronto em 20 minutos, fácil de fazer)

Ingredientes

  • 800 g de filé-mignon suíno em cubos de 3 cm
  • 3 colheres (sopa) de suco de limão
  • 4 dentes de alho picados
  • ½ colher (chá) de cúrcuma (açafrão-da-terra)
  • Sal e pimenta-do-reino
  • 3 colheres (sopa) de óleo
  • 2 cebolas médias picadas
  • ½ colher (sopa) de alecrim picado
  • ½ pimenta dedo-de-moça sem sementes picada
  • 3 xícaras (chá) de caldo de carne fervente
  • 600 g de batata-doce em pedaços de 3 cm

Modo de preparo
Tempere a carne com o suco de limão, o alho, a cúrcuma e sal e pimenta a gosto. Reserve. Aqueça o óleo em fogo alto na panela de pressão, junte a carne temperada e frite por 5 minutos ou até começar a dourar. Acrescente a cebola, o alecrim e a pimenta picada e refogue por 1 minuto. Adicione o caldo fervente, tampe e cozinhe em fogo médio por 12 minutos após o início da fervura (apito). Libere a pressão para abrir a panela, acrescente a batata-doce e tampe novamente. Volte ao fogo e cozinhe por mais 4 minutos a partir da fervura. Libere a pressão e deixe ferver em fogo alto por 5 minutos, sem tampa, para apurar o caldo. Sirva em seguida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *