Separação do lixo ainda não é a ideal 

Representante da empresa que faz a coleta de lixo em Joaçaba esteve na tribuna da Câmara de Vereadores

Foto Divulgação

Atendendo a um convite feito pelo vereador Chico Lopes, o representante da empresa Tucano Obras e Serviços (TOS) utilizou da tribuna da Câmara em sessão desta terça-feira (16). Diretor comercial e procurador do Grupo Tucano, Marcos Fernandes Gaspar de Lima (foto) fez um breve relato sobre as diversas atividades da TOS, mais especificamente sobre o serviço de coleta e destinação de lixo em Joaçaba e sobre a unidade de Central de Valorização de Resíduos II, em Erval Velho, local que recebe todo o material. Segundo ele, o volume coletado é de 670 toneladas de lixo orgânico/mês e, aproximadamente 90 toneladas de material reciclável/mês.

Chico Lopes disse que a coleta de lixo é um tema que interessa a toda à comunidade, motivo pelo qual o convite foi feito. Ele questionou sobre o procedimento de separação do lixo orgânico e reciclável por parte da população. Gaspar de Lima disse que ainda existem problemas localizados com a separação.

“A separação do lixo, seja na área onde existem contêineres ou não, ainda não é adequada. Insistimos para que a população colabore e separe seu lixo. Precisamos da colaboração de todos”, disse ele ao frisar que a empresa realiza trabalhos de conscientização junto às escolas em parceria com a secretaria de Educação do município. Disse que o poder público (prefeitura), pode colaborar para que a prática da separação seja aperfeiçoada realizando campanhas educativas. O vereador Chico Lopes sugeriu que possam ser disponibilizadas palestras nos pontos (bairros) onde a separação do lixo ainda precisa melhorar.

O representante da TOS falou ainda sobre dificuldades existentes em relação ao tráfego dos caminhões que fazem a coleta em função do relevo acidentado da cidade. Disse também que existem veículos não autorizados e não identificados que já foram flagrados fazendo a coleta do lixo reciclável para posterior venda. “Neste caso é preciso que haja mais fiscalização”. Ele respondeu ainda a diversos outros questionamentos feitos pelos vereadores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *