Cai 11% o gasto de turistas no comércio de Joaçaba durante o Carnaval 2019

Foto Agência Novità

Pesquisa realizada pela Fecomércio SC aponta apenas dois setores com saldo positivo. Porém, com pequeno aumento de negócios. Mesmo com a variação negativa do consumo por parte dos foliões de fora da cidade, 35% dos empresários mantêm o otimismo em relação à maior festa promovida no município

Rodrigo Leitão
jornalismo@raizesdiario.com.br

O faturamento do comércio de Joaçaba com as vendas para turistas durante o período carnavalesco continua caindo. De acordo com uma Pesquisa da Federação do Comércio de Santa Catarina que será divulgada nos próximos dias e que o RD Comunicação teve acesso, em 2019, a variação apurada foi negativa em 11,1%. O principal setor responsável pela queda foi o de vestuário, calçados e acessórios, “o que demonstra que este tipo de comércio não é mais tão impactado pelo período de Carnaval”, acentua o texto do relatório.

A pesquisa realizou entrevistas em estabelecimentos comerciais, distribuídos em mais de oito setores de atuação. Os dados foram coletados nos dias 7 e 8 de março, em 92 lojas, das quais 8 foram do segmento de hospedagem (hotéis, pousadas e similares). O grau de confiabilidade da pesquisa é de 95%, e a margem de erro é de 5%.

É exatamente o setor de hospedagem o que apresentou o número mais expressivo da pesquisa, com ticket médio de R$ 241. Porém, segundo os pesquisadores da Fecomércio SC, este setor não proporcionou o maior impacto positivo no indicador, pois, em 2019, seu crescimento proporcional aos anos anteriores não foi muito significativo.

CONTRATAÇÕES
De acordo com a pesquisa, 8% das empresas entrevistadas aumentaram seu quadro de colaboradores, mantendo o mesmo número do ano passado. Segundo a Fecomércio, “a prudência observada nos últimos anos reflete as consecutivas quedas nas vendas e a insegurança do empresário diante da instabilidade macroeconômica do país.”

Neste ano, como no ano que passou, apenas dois setores realizaram contratações de colaboradores extras para o período do Carnaval: o de bares, restaurantes e lanchonetes (27%) e o de hotéis e pousadas (13%). Em média, foram contratadas 3 pessoas por estabelecimento, nos dois setores.

OTIMISMO
Mesmo com a queda anual gradativa do faturamento, nos últimos anos, em 2019 os empresários joaçabenses se mostraram mais otimistas. De acordo com os dados da Fecomércio de Santa Catarina, as opiniões positivas aumentaram este ano. Foram 33% distribuídas em muito bom (8%) e bom (25%). “Isto mostra uma melhora em relação ao ano anterior quando as percepções positivas somaram 18%, mas ainda assim abaixo da média histórica (38%)”, diz a pesquisa.

Em 2019, o ticket médio dos setores de mercados e supermercados (R$114) e de vestuário, calçados e acessórios (R$71), foram responsáveis por gerar o maior impacto positivo na média geral (R$186). Historicamente, os hotéis e similares têm o maior ticket médio entre os setores diretamente afetados pelo turismo.

CARTÕES
A principal forma de pagamento dos turistas durante o Carnaval em 2019, na cidade, foram os cartões. Mas a pesquisa revela que 43% dos foliões compram à vista e em dinheiro. Neste ano foi observado o aumento na fatia de consumidores que fizeram uso dos cartões de crédito para pagamento à vista, em contrapartida à redução dos pagamentos com cartões de débito. Segundo os empresários, o impacto do Carnaval na variação do faturamento, tanto em relação aos meses comuns do ano, quanto aos anos anteriores do evento, vem caindo.

Uma das perguntas feitas ao mercado local diz respeito às dificuldades enfrentadas que afetaram as vendas, o faturamento e a dinâmica do negócio no período carnavalesco. Cerca de 30% dos empresários consultados, aproximadamente 34 estabelecimentos, apontaram, como no ano anterior, que o trânsito e as dificuldades de acesso aos estabelecimentos são as maiores dificuldades. Para 23% deles, faltam estacionamentos. Já 13% responsabilizam a dificuldade de acesso ao estabelecimento; 12% citam o trânsito na cidade; e 10%, a mobilidade urbana.

Mesmo com o resultado de retração nos negócios durante a maior festa promovida na cidade, alguns empresários ainda veem com otimismo o Carnaval de Joaçaba como oportunidade de negócios. Embora as citações tenham sido poucas, 35% dos empresários manifestaram opiniões positivas acerca do período do Carnaval. Um grupo menor, 26%, até percebeu aumento no movimento de clientes e nas vendas; 3% viram oportunidade de negócios; e 2% tiraram proveito do horário diferenciado no período, ampliando o atendimento.

MÉDIA DE GASTOS POR TURISTAS
– Bares e restaurantes – R$ 29
– Vestuário, calçados e acessórios – R$ 71
– Farmácias – R$ 46
– Mercados e supermercados – R$ 114
– Hotéis e similares – R$ 241
– Presentes e souvenir – R$ 117
– Postos de combustíveis – R$ 40
– Livrarias e revistarias – R$ 28
– Ticket médio geral – R$ 186

SEGMENTOS CONSULTADOS
– Alimentos e bebidas (bares e casas noturnas, restaurantes, lanchonetes, sorveterias, padarias e confeitarias);
– Vestuário, calçados e acessórios;
– Farmácias;
– Mercados, supermercados e hipermercados;
– Hotéis, pousadas e similares;
– Presentes e souvenir;
– Livrarias e revistarias;
– Postos de combustíveis;
– Salões de beleza;
– Agências de viagens, operadores turísticos e locadora de veículos.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *