Chapecoense demite Claudinei Oliveira por telefone. Ney Franco e Luxemburgo são os alvos do Verdão

Não há pressa na Chape para escolher o novo técnico. Enquento isso, o o auxiliar permanente, Emerson Cris, comanda o time, nesta quarta, contra o Tuburão, pelo Campeonato Catarinense

A Chapecoense demitiu o técnico Claudinei Oliveira. Após a derrota por 2 a 1 para o Joinville, na noite deste domingo, dentro de casa, o clube optou pela mudança no comando da equipe. O auxiliar Luciano Gusso e o preparador físico Robson Gomes não permanecem. A decisão foi tomada ainda na Arena Condá, mas o técnico foi informado após deixar as dependências do estádio, pelo diretor executivo Newton Drummond, por telefone.

Contratado em outubro do ano passado, Claudinei Oliveira atingiu o objetivo de salvar o time do rebaixamento para a Série B. Com isso, permaneceu no cargo nesta temporada, mas o futebol da equipe não vinha agradando à direção do clube. A eliminação na Copa Sul-Americana, contra o modesto Unión La Calera, estreante em competições internacionais também ajudaram a pressionar pela saída de Claudinei.

O técnico deixa o time sem poder contar com os principais reforços da temporada. Na noite deste domingo, Rildo fez sua primeira partida pela Chapecoense. Gum, Thiago Santos e Marcos Vinicius, no entanto, ainda não estão liberados. Aylon, outro reforço na temporada, também não chegou a fazer uma partida inteira pelo Verdão por conta de lesões.

INTERINO
A responsabilidade agora está nas mãos do auxiliar permanente do Verdão, Emerson Cris, que já treinou a equipe como técnico interino em outras ocasiões. Emerson estará na beira do gramado auxiliando a equipe na partida contra o Atlético Tubarão, nesta quarta-feira (20). Mesmo com jogo importante contra o Criciúma pela Copa do Brasil no fim do mês, o time do Oeste Catarinense não vê urgência na contratação de um novo comandante.

A diretoria busca um técnico capaz de montar um time reativo, que crie jogadas de gol através do contra-ataque. Os nomes na lista variam entre jovens da nova geração, até os mais experientes, que já estão fora do mercado há algum tempo.

LUXEMBURGO OU NEY FRANCO
Ney Franco  é o principal nome desejado pela direção. No ano passado, ele comandou o Goiás e garantiu o retorno da equipe à elite do futebol brasileiro. Após a disputa da Série B, o treinador pediu demissão e chegou a ser especulado como possível técnico do Fluminense, que no fim acabou contratando Fernando Diniz.

Já Luxemburgo está parado desde que comandou o Sport em 2017. Multicampeão, o ex-técnico da Seleção Brasileira e do Real Madrid tem uma grande relação com José Carlos Brunoro, que na última semana foi apresentado pela Chape como novo consultor estratégico da equipe. Nos anos 1990, os dois foram muito vitoriosos no Palmeiras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *