Veja fotos de Coutinho e Pelé, a dupla que inventou a tabelinha

Morre o principal parceiro de Pelé

Coutinho sofreu um infarto, aos 75 anos, em sua casa, em Santos-SP. Como a Vila Belmiro passa por reformas, clube correu para organizar o velório. O atacante atuou no time de Pelé entre 1958 e 1967 e é o terceiro maior artilheiro do Peixe, com 368 gols em 457 partidas.

Funcionários de diferentes departamentos do Santos correram para organizar o Salão de Mármore a tempo do velório de Coutinho, iniciado à 1h da madrugada. Com a reforma da Vila Belmiro em andamento, o espaço estava sujo e desorganizado. Com pouco tempo desde a confirmação do óbito, por volta das 21h, todos se mobilizaram, do faxineiro ao gerente administrativo.

Dorval e Mengálvio, companheiros de Coutinho no esquadrão do Santos na década de 60, chegaram junto com a família no início da madrugada. Da diretoria, Pedro Doria Mesquita, do Comitê de Gestão, compareceu. O presidente José Carlos Peres está em Dubai, nos Emirados Árabes.

A família de Coutinho evitou entrevistas e proibiu imagens internas do salão. O enterro será às 18h, no Cemitério Memorial Necrópole Ecumênica.

TRAJETÓRIA
Coutinho morreu aos 75 anos no início da noite desta segunda-feira, em sua residência, em Santos, por causa de um infarto. Em janeiro, ele chegou a ser internado na UTI depois de pneumonia.

Antônio Wilson Vieira Honório, mais conhecido como Coutinho, é o terceiro maior artilheiro da história do Peixe. Atuou entre 58 a 67 no Alvinegro, com 368 gols em 457 partidas. Ele ainda defendeu Vitória, Bangu e Atlas-MEX e se aposentou em 1973 no Saad.

Coutinho conquistou seis títulos paulistas, cinco brasileiros, duas Libertadores e Mundiais de Clubes. E foi campeão mundial pela seleção brasileira em 1962.

PALAVRA DO REI
Pelé também se pronunciou sobre a morte do seu principal companheiro no futebol. A cumplicidade era tanta, que a dupla Coutinho e Pelé virou sinônimo de tabelinha! “É uma grande perda. A tabelinha Pelé Coutinho fez o Brasil ficar mais conhecido no mundo todo. Tenho certeza que um dia faremos tabelinha no céu. Minhas condolências à família”, disse o Rei.

Diabético, ele havia sido internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Casa de Saúde em janeiro por causa de uma pneumonia. Pepe, também companheiro de Coutinho, citou Alzheimer e problemas estomacais. A família não confirmou oficialmente o motivo do falecimento.

“Encontrei o Coutinho há pouco tempo, sempre muito feliz. Sabia que não estava bem há um tempo. Tínhamos contato quase diariamente. Tinha problemas de estômago e Alzheimer, mas sempre alegre. Sempre encontrava ele no bar tomando a cervejinha perto da Vila Belmiro. Batíamos papo. Onde ele estava, estava a alegria. Um cara feliz. Vai fazer falta o eterno Coutinho”, afirmou Pepe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *