Pesquisa espontânea mostra que 64% dos entrevistados ainda estão indecisos

Na estimulada, o índice cai para 25%, mas ainda é alta

O projeto Cobertura Eleições SC 2018 – Jornais Impressos e Digitais traz o resultado da pesquisa de opinião pública com a intenção de votos e a rejeição dos candidatos ao governo do Estado e ao Senado federal em Santa Catarina. O trabalho foi encomendado pelo Grupo RIC/RIC TV/Fecomércio e tem a parceria da Associação de Diários do Interior (ADI-SC) e a Associação dos Jornais do Interior (Adjori-SC), além de veículos independentes, para a divulgação. Todo o esforço dessa grande rede é para levar o máximo de informação aos leitores e aos eleitores.

Os dados foram levantados pelo Real Time Big Data, de São Paulo, instituto contratado pela Record para aplicar pesquisas eleitorais em 17 estados e ainda para levantar dados nacionais na corrida para a Presidência da República. No Sul do país, Santa Catarina é o primeiro estado a ter e a divulgar os resultados da pesquisa. 

Registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) sob o número SC-04745/2018, a pesquisa quantitativa teve como base 1.110 entrevistas, realizadas nas cinco regiões do estado – Grande Florianópolis, Vale do Itajaí, Norte, Sul e Oeste – nos dias 1, 2 e 3 de setembro. A margem de erro é de 3% e o nível de confiança chega a 95%.

O começo da propaganda eleitoral em rádio e TV ainda não interferiu muito no interesse dos eleitores de Santa Catarina. O cientista político do Real Time Big Data, Bruno Soller, destacou que o índice está dentro da média nacional. Para ele, a população brasileira passou do sentimento de desesperança para o de descrédito. Com os números daqueles que apontaram uma preferência na pesquisa espontânea isso fica claro. Só foram citados quatro nomes – Mauro Mariani (MDB), Gelson Merisio (PSD), Décio Lima (PT) e Comandante Moisés (PSL). Por outro lado, na estimulada há o que Soller chamou de empate triplo, resultado da estrutura e da militância dos três partidos que aparecem nas primeiras posições. Já na rejeição, desvantagem para o petista Décio Lima que, mesmo diminuindo a força da sigla em suas propagandas, sofre com o sentimento de anti-petismo. 

Senado – intenção de voto

No caso do Senado, Esperidião Amin (PP), Raimundo Colombo (PSD) e Paulo Bauer (PSDB) lideram com 31%, 29% e 24% das intenções de voto, seguidos de longe por Roberto Salum (PMN), com 7%, Ideli Salvatti (PT) e Jorginho Mello (PR), empatados com 6%.

Aqui o número de indecisos é ainda maior – 57% não souberam declarar em quem vão votar. Outro índice que chamou a atenção foi o de brancos e nulos. Somando os dois votos, já que em 2018 são duas vagas para o Senado, o índice chega a 24%.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *