Ponto de Encontro, por Adão Jair Florencio

MINHA ANDORINHA

 

Oi filha!

Assim eu te saúdo,

Como um súdito à Rainha,

Saudação esta,

Toda minha,

Pois como tal, vejo você.

Te saúdo

Com o Divino Espírito Santo

Sem derramar o meu pranto.

Mas sorrindo te abraçar

E com verdade desejar

Toda a paz que há no mundo.

 

Minha filha,

Filha minha,

Andorinha,

Meu verão,

De coração te digo

Você é a flor mais pura

Que nasceu no meu jardim

Juntinho a mim

Tu vais ficar.

As vezes em tua caminha,

Chupando tuas mãozinhas

Eu fico a imaginar,

A plenitude de Deus,

De no meu mundo plantar

Um ser igual a você.

Contemplando teu rostinho,

Reflito no teu caminho,

Que por certo vais trilhar,

E a Cristo me ponho a rezar,

Que ilumine tua vida,

Tua senda,

Que poucas vezes se ofenda

Com as traições do destino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *