Ponto de Encontro, por Adão Jair Florencio

TU VENS

Tu vens chorando,

me alegrando

pequeno,

tão tenro.

Tu vens.

frágil, lindo

e eu estou sentindo

que cá fora

vais Ter que lutar.

Tu vens

neste desencontro de opiniões,

em todo lugar eclosões.

Mas tu teimas em vir.

Tu vens,

rugindo tal qual fera,

como a dizer a todo mundo

que um grande homem serás.

Tu vens filho meu,

vendo bebes de proveta,

enquanto que na sarjeta

todos procuram um lugar ao sol.

Tu vens.

vens vendo fotos de disco voador,

homens substituídos por computador,

em todo lugar há guerras

e tu… tu serás mais uma peça

neste quadro de xadrez.

Tu vens meu filho,

mas no meio de tanta besteira

de sujeira

terás uma mão segura:

terás a mim,

teu pai.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *