Dicas para guardar o vinho em casa

Como proceder com as garrafas de vinho e espumantes que compramos? Esse é um problema que aflige muita gente que gosta de comprar umas garrafas de vinho e guardar pra ir bebendo de vez em quando.

Muitos têm medo de perder os vinhos, porque moram em apartamento no último andar ou a sala da casa é virada para o poente, pega muito sol à tarde. Mas esse é um problema que pega também o pessoal que mora no lado nascente, porque dependendo de onde se guarda o vinho vai pegar sol de qualquer jeito.

A primeira coisa a ser feita é escolher um local arejado, mais frio, dentro de casa. Não dá pra guardar na varanda, nem na área, que são locais que ficam em contato com sol e claridade. Quem mora no último andar não pode guardar vinhos na parte superior dos armários também. Porque pelo menos uma vez por dia, haverá incidência de calor ali, já que o teto é a laje do prédio. Isso também vale para quem mora em casa de laje. E também não deve deixar em armário com porta de vidro, porque vai entrar claridade.

Adega refrigerada é a melhor solução, mas nela não cabe tudo. A média é de 12 garrafas e quem gosta de vinho geralmente tem mais que isso em casa. Eu guardo as garrafas em um armário no quarto mais arejado da casa, na parte de baixo deste armário. Assim corre ar perto e ajuda a resfriar mesmo quando está calor.

Mas você só deve investir em uma adega refrigerada se for um consumidor contumaz de vinhos ou se tiver vinhos muito caros, porque quem toma vinho uma vez por semana pode guardar no armário e depois levar para a geladeira. O vinho tirado do armário e ficando de meia na porta da geladeira já tá no ponto pra se beber.

Além disso, deve-se tomar cuidado porque nem todas as adegas oferecidas no mercado brasileiro estão climatizadas, preparadas para o nosso clima. E aí o termostato não vai aguentar e em pouco tempo elas queimam. Na hora de comprar tem de saber se existe essa preparação da adega para o local onde você vive.

Já as adegas que vêm nos armários de cozinha, aqueles nichos para se por garrafa, são um perigo para o vinho. Os vinhos correm sérios riscos nestes compartimentos. Primeiro, porque as cozinhas são normalmente quentes. Segundo, essas adegas não têm porta e pegam toda a claridade. Terceiro, geralmente a cozinha é ligada a área, onde bate muito sol. Ou seja, guardar vinho ali, por mais barato que ele tenha custado, é jogar dinheiro fora. Se for espumante ou vinho branco, então, vai danificar com certeza. Principalmente se ficar ali muito tempo.

A propósito, existe diferença no armazenamento entre brancos e tintos. Mas isso vai depender de como você usa os vinhos. Se você comprou na loja e levou pra casa, pode guardar no tal armário em local mais arejado. Ali cabem os dois. Agora, se você for refrigerar, há uma diferença sim e aí o problema é maior.

Geralmente, as adegas refrigeradas variam de 6 a 16 graus. Vinho branco deve ser servido entre 10 e 12, então vai ser guardado de 6 a 8 graus. Vinho tinto não pode ser guardado nessa temperatura, tem de ser entre 13 e 16. Então não dá pra regular uma média e guardar tudo lá.

Os restaurantes, a maioria deles, guarda tudo a 16 graus, que é a temperatura mínima para a preservação do vinho tinto. É por isso que quando você pede vinho branco, na maioria dos restaurantes, tem a impressão de que ele está quente. Ele deveria sair da adega a 10 graus, no máximo, pra você bebê-lo a 12. E o tinto, saindo a 16 graus, você vai beber a 18. Isso pode estragar o vinho branco.

Agora, se você quiser insistir na adega refrigerada para guardar vinhos brancos e tintos, faça o seguinte; na hora de servir o vinho branco, deixe a garrafa um tempinho na geladeira, naquela parte mais refrigerada, para que ele atinja a temperatura de 10 graus. Uns 20 minutinhos resolvem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *