Abcam garante desmobilização  

A maioria das associações e entidades de caminhoneiros aderiu ao acordo com o governo e sustentam que, até o final desta terça-feira, os caminhões voltam a rodar normalmente

O presidente da Associação Brasileira doas Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, disse, nesta segunda-feira, que entre 70% e 80% dos caminhoneiros que participavam das manifestações nas rodovias do país já “levantaram acampamento” nos pontos de obstrução. A expectativa é de que a desmobilização seja concretizada até o final desta terça-feira (29).

“O nível da adesão [à desmobilização] está aumentando gradativamente. Estou aguardando posição do grupo que está fazendo o levantamento. Apesar de ainda não termos um número exato [sobre o total de caminhoneiros que já se desmobilizaram], dá para dizer que de 70% a 80 % já levantaram acampamento”, disse Lopes.

USO POLÍTICO
Lopes explica que as manifestações que ainda ocorrem em alguns pontos de rodovias não estão relacionadas às reivindicações de caminhoneiros, mas há “gente que quer derrubar o presidente Michel Temer”. Lopes diz ter ouvido relatos de que parte do movimento dos caminhoneiros estaria sendo usado politicamente por defensores da intervenção militar.

“Nas conversas com a base, fiquei sabendo de pontos com envolvimento com intervencionistas, mas estamos trabalhando para evitar esse uso político do nosso movimento. Faremos denúncia publica sobre os pontos onde isso está ocorrendo. Se essas pessoas forem penalizadas por autoridades, com multas ou o que for, elas não terão a ajuda da Abcam”, disse à Agência Brasil o representante dos caminhoneiros.

 

ENTENDA O ACORDO

Preço do óleo diesel – O preço do óleo diesel terá uma redução de 46 centavos, válido pelos próximos 60 dias. A política de reajuste da Petrobras deixará de ser diária e passará a ser mensal.

Isenção do eixo suspenso – Medida Provisória vai garantir a isenção da cobrança do eixo suspenso nos pedágios de todo o País. A medida valerá para rodovias federais, estaduais e municipais.

Cargas da Conab – Medida Provisória vai garantir aos caminhoneiros autônomos 30%, pelo menos, dos fretes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Tabela mínima de frete – A assinatura de uma medida provisória também garante uma tabela de preço mínimo de frete para os caminhoneiros.

Impostos – Redução a zero Cide, em 2018, sobre o óleo diesel

Desoneração – Manter a desoneração da folha de pagamento das empresas do setor de transporte rodoviário de cargas

Justiça – Requerer a extinção das ações judiciais propostas pelo governo em razão do movimento dos caminhoneiros.

Multas de trânsito – Informar às autoridades de trânsito sobre a celebração do acordo para instrução nos eventuais processos administrativos instaurados em razão do movimento (retirar multas de trânsito em função da greve)

Fiscalização do acordo – Manter reuniões periódicas com as entidades para acompanhamento do cumprimento dos termos do acordo. O próximo encontro deve ocorrer em 15 dias

Terceirizados – Buscar junto à Petrobras condições para que os transportadores autônomos livres possam participar de operações de transporte como terceirizados

Renovação da Frota – Solicitar à Petrobras que seja observada a resolução da ANTT sobre renovação da frota nas contratações de transporte rodoviário de carga

Fonte: Palácio do Planalto

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *