Safra histórica terá 58 milhões de sacas de café

O segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima a produção brasileira de café da safra 2017/2018 em 58 milhões de sacas de 60 quilos, o maior recorde de todos os tempos. Esse número representa um aumento de 29,1% em relação ao ciclo anterior, quando foram colhidas 44,9 milhões de sacas de arábica e o conilon. Em 2016, no último período de alta bienalidade, País produziu 51,4 milhões de sacas.

O diretor da SNA, José Milton Dallari, credita o bom resultado à bienalidade positiva e às boas condições climáticas. “A sazonalidade e a boa produtividade dos nossos cafezais puxaram o aumento da produção de café”, diz ele. “O clima correu bem, exceto nos últimos 45 dias.” Segundo a Conab, o avanço do pacote tecnológico neste setor, especialmente as variedades mais produtivas, também contribuíram para a colheita farta.

Entre os Estados, Minas Gerais continua na dianteira como maior produtor, com 30,7 milhões de sacas do produto beneficiado, sendo 30,4 milhões de arábica e o restante de conilon. Já no Espírito Santo, segundo do ranking, a produção chega a 12,8 milhões de sacas, das quais 8,3 milhões de conilon e 4,5 milhões de arábica. Já São Paulo, só produz café arábica e vai colher 6,1 milhões de sacas. A Bahia também se destaca, com 2,7 milhões de sacas de conilon e 1,8 milhão de arábica.

A produção brasileira de café arábica está prevista em 44,3 milhões de sacas, um aumento de 29,4% comparado à safra passada, enquanto a de conilon deve alcançar 13,7 milhões de sacas, um incremento de 27,9%. A área total de cafezais brasileiros é estimada em 2,17 milhões de hectares, sendo 287,7 mil hectares em formação e 1,9 milhão em produção. (Fonte Euipe SNA/ SP)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *