Despenca faturamento do comércio de Joaçaba com turistas no Carnaval

 

Rodrigo Leitão
jornalismo@raizesdiarito.com.br

A perda média de faturamento no comércio para o Carnaval deste ano foi de 8,7% na comparação direta com o evento de 2017, nas principais cidades foliãs de Santa Catarina. Esta é a segunda vez consecutiva que o segmento registra perda acima da recuperação anual. Em Joaçaba o rombo foi ainda maior. Se verificados apenas os gastos dos turistas no comércio local, o faturamento despencou de R$ 131,00 em média, no ano passado, para R$ 90,93. Isso significa uma queda de R$ 40,07, correspondente a 35% a menos de gasto no comércio.

Embora tenha sido negativa a variação do consumo no comércio do Estado, durante a folia. Essa redução foi inferior à registrada no ano passado e comparação com 2016, cuja queda foi de 12,7%. Segundo os dados divulgados nesta segunda-feira pela Fecomércio SC, em Florianópolis, o ticket médio dos estabelecimentos desacelerou de R$233,17 em 2017 para R$154,06 neste ano.

Os especialistas apontam uma combinação de chuva, resquícios da recessão e problemas no trânsito como os principais fatores que atrapalharam uma evolução melhor da folia. De acordo com a pesquisa da Fecomércio SC sobre os impactos da festa nos negócios em Florianópolis, São Francisco do Sul, Laguna e Joaçaba, Joaçaba foi a cidade com o menor faturamento per capta no comércio este ano, com R$ 90,93. Já Florianópolis registrou gastos de R$185,13 por folião.

“O Carnaval movimenta a economia dessas quatro cidades. Mas com os ajustes no orçamento das famílias, os gastos considerados não essenciais, como é o caso do lazer, ficam em segundo plano. Com a retomada da economia em 2018, especialmente em SC. As atividades turísticas e os serviços começam a reagir e mostrar melhor desempenho. Em 2017, o estado foi o 4º que mais empregou no turismo”, avalia o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt.

 

Foliões elogiam estrutura e serviços

©Régis Heberle/LIESJHO

Apesar na queda de faturamento durante os dias de folia na comparação com os anos anteriores, houve elevação de vendas durante o Carnaval, mesmo que tímida, na comparação com os dias comuns.

Já na comparação com os meses comuns do ano, a alta foi de 4,4%. Os números são mais expressivos no setor de hotelaria: queda de 3,3%, inferior à variação de 2017 (-12,1%), e avanço de 34,4%, com 73,9% dos leitos ocupados. O percentual chega a 81,7% em Florianópolis.

Pelo menos 15,7% dos estabelecimentos entrevistados contrataram mão de obra extra para atender a demanda do Carnaval, acima do ano passado, 12,5%.  Os setores que mais reforçaram o quadro de funcionários foram de bares, restaurantes e lanchonetes (26,5%) e hotéis e pousadas (21,3%).

Entre os pontos positivos do Carnaval, os entrevistados apontaram a qualidade turística do destino e as ações realizadas pelos próprios empresários.  Que investiram em ações promocionais, qualidade nos serviços, planejamento e em novos colaboradores.

Os dados foram levantados com 432 estabelecimentos comerciais, entre os dias 14 e 19 de fevereiro de 2018. O grau de confiabilidade da pesquisa é de 95%, com margem de erro de 5%.

CONFIRA OS NÚMEROS

 

8,7% queda média no consumo em todo o estado

R$ 90,93 gasto diário por turista em Joaçaba

35% queda do consumo no comércio de Joaçaba no Carnaval 2018

34,4% crescimento na ocupação de hotéis

73,9% foi a ocupação hoteleira neste Carnaval

15,7% dos estabelecimentos contrataram mão de obra extra

 

 

 

 

Comments
  1. Paulo kuster
  2. Cicero Voltaire

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *