Manifestantes “interditam” loja da Havan em Chapecó

Uma manifestação contra a Reforma da Previdência, nesta segunda-feira, em Chapecó, levou um grupo formado por Bancários, professores da rede estadual de ensino e centrais sindicais a fechar a loja da Havan, no centro da cidade. Durante a mobilização e portando cartazes e bandeiras, os manifestantes alegavam que a empresa deve R$ 168 milhões ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“O governo Temer quer mexer na sua aposentadoria, mas não cobra dos sonegadores. A Havan deve R$ 168 milhões ao INSS”, alertava um dos cartazes.

O protesto, que iniciou na Praça Coronel Bertaso e se estendeu ao longo da avenida principal da cidade, teve seu ponto alto quando os manifestantes passaram correntes e fecharam a entrada da loja com cadeado. A Polícia Militar foi chamada para conter os ânimos.

Os cerca de 200 manifestantes gritavam  palavras de ordem e nomes de políticos da região Oeste que apoiam a reforma proposta por Temer.

Resposta – Luciano Hang, dono da Havan respondeu a manifestação. Em sua página no facebook ele disse que “hoje pela manhã manifestantes e políticos ligados ao PT se reuniram em frente a loja Havan de Chapecó (Santa Catarina) querendo impedir a abertura e o acesso dos nossos colaboradores e clientes a loja. Todos foram identificados e serão processados criminal e civilmente. Queremos agradecer a policia que prontamente restabeleceu a ordem. Fica aqui o meu apelo para que mudem as leis, para que o certo volte a ser certo e o errado volte a ser errado. O que o Brasil quer é ordem e progresso.”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *